Rio Sem Fronteiras: A 'Bíblia' do funk carioca

Autor do livro 'A Lenda do Funk Carioca' conta que escrevia de 10h a 15h por dia

Por O Dia

Rio - Mil e quinhentas páginas, dois mil personagens, do Gênesis ao Apocalispe, quando você vê o livro ‘A Lenda do Funk Carioca’, do escritor Marcelo Gularte, 40 anos, entende porque ele é conhecido como ‘a bíblia do funk carioca’. O morador do Batan choca ao falar sobre sua obra e impressiona. “Demorei sete meses pesquisando e dois produzindo”, impossível é uma palavra que vem facilmente à cabeça, mas não para ele. “Escrevia 10, 15h por dia”, relembra.

Autor do livro 'A Lenda do Funk Carioca' conta que escrevia de 10h a 15h por diaAlexandro Auler/ Agência O Dia

A inspiração para o tema, ele afirma ter vindo do DIA, da Coluna Informe do Dia, de Fernando Molica. Há três anos, Gularte tinha acabado de produzir um documentário sobre o MC Magalhães e foi questionado pelo colega. “Ele perguntou como me envolvi com o funk. Senti que tinha que saber mais.” Apesar de já ter sido tese de doutorado, ‘o livro sagrado dos funkeiros’, ainda procura por uma editora.

Teatro a domicílio

Está chegando a hora do Festival Home Theatre, que reúne artistas do mundo inteiro, interpretando cenas teatrais em casas do Rio, de 28 de abril a 8 de maio. No roteiro estão mansões da Zona Sul e barracos humildes de diversas favelas. Além das cenas, o festival ainda inclui workshops com diretores internacionais que estão percorrendo comunidades.

Doações de chuteiras

Projeto precisa de doações de chuteiras e uniformesWellington Jorge / Divulgação

O M Esporte Social, projeto que atende 600 crianças de Manguinhos e Alemão (foto acima) precisa de doações de uniformes e chuteiras mesmo usados. “Até com pequenos defeitos”, diz Marcelo Souza, idealizador do projeto. “Também precisamos de alimentos para dar lanche aos meninos.” Que puder ajudar, pode entrar em contato pelo telefone 97143-6265.

Rap contra o Aedes

O Movimento Enraizados, que atua em Nova Iguaçu, está organizando o #RapLAB na Arena Jovelina, na Pavuna, e no Ciep 172, em Morro Agudo, esta semana. Segundo o rapper Dudu de Morro Agudo, organizador do Enraizados, MCs da região se reunirão para compor duas músicas para chamar a atenção e orientar sobre formas de prevenção contra o Aedes aegypt.

Acessibilidade Depois da Rocinha e Caju, é a vez da Vila Kennedy receber o Agentes de Promoção da Acessibilidade, da ONG Escola de Gente, que desenvolve a criação de uma sociedade inclusiva. Os participantes receberão formação em comunicação acessível. Jovens com e sem deficiência, de 14 a 29 anos, podem se inscrever. Informaçõs pelo e-mail: mieong@escoladegente.org.br

Se essa rua fosse minha, eu mandava...

... Se você pensou em ladrilhar com pedrinhas de brilhantes, como dizia a cantiga, ok. Mas já parou para pensar realmente no que você faria pela sua rua se pudesse mudar algo nela? Os moradores da Vila Kennedy pensaram e estão escutando seus vizinhos para saber o que eles fariam. “Vamos organizar as propostas considerando prioridade e convergência”, conta Jorge Melo, um dos organizadores do ‘Se Essa Rua Fosse Minha’, segundo ele, a ideia é formar uma cartografia e correr atrás para implementar as iniciativas mais viáveis.

AGENDA

Militarização das favelas: Hoje a Olimpíada e a militarização das favelas entram em debate na Tijuca, a partir das 10h30. Na Fundação Leão XIII,
Rua Paul Underberg s/n. Entrada gratuita.

Festa no Santa Marta: A ONG Atitude Social comemora 12 anos hoje, às 17h. O evento terá MCs, oficinas e exibição do longa ‘A Batalha do Passinho’. Na Laje do Michael Jackson, Santa Marta.

Horta caseira na CDD: Nesta terça, será realizada oficina de horta caseira, na Cidade de Deus. A partir das 14h, no Centro de Referência da Juventude, CRJ, na Av. José de Arimatéia 80. Tel.: 2426-3120.

Feira 'pra comu' em JPA: A feira ‘Pra Comu’ promove amanhã sua edição de aniversário, às 10h. Com desfile, debates e DJs. Na Lona Cultural de Jacarepaguá, que fica na Pc. do Barro Vermelho.

Últimas de Rio De Janeiro