Polícia identifica casa onde jovem foi vítima de estupro coletivo

Agentes foram até o local para identificar os criminosos que praticaram o ato

Por O Dia

Rio - Uma operação no Morro São José Operário, na Praça Seca, Zona Oeste do Rio, foi deflagrada pela Polícia Militar na manhã deste sábado. Os agentes identificaram o local onde ocorreu o estupro coletivo de uma jovem de 16 anos no último final de semana. Diligências foram realizadas na casa para tentar identificar os suspeitos do crime. Os policiais apreenderam roupas e material usado na endolação de drogas. 

Polícia identifica local onde jovem foi vítima de estupro coletivoDivulgação

LEIA MAIS: Vídeo que expõe mulher nua após suposto estupro revolta internautas 

'Não dói o útero e sim a alma', escreve jovem vítima de estupro coletivo

Para polícia, estupro coletivo pode ter tido a participação de 36 homens

Policiais dos 9° BPM (Rocha Miranda), 14° BPM (Gericinó),18° BPM (Pechincha), 27° BPM (Santa Cruz), 31° BPM (Recreio), 40° BPM (Campo Grande) e 41° BPM (Irajá) participaram da ação. O policiamento da região segue reforçado com o auxílio do helicóptero para o patrulhamento. Até o momento, não houve confronto na região.

Entenda o caso

Na última quarta-feira (25), um vídeo que mostrava uma jovem desacordada aparentemente após ser vítima de estupro foi publicado no Twitter chocou os internautas. Devido a repercussão das imagens, que geraram comoção nas redes sociais e campanhas repudiando a violência contra a mulher, o caso passou a ser investigado pela polícia. 

A jovem, de 16 anos, foi identificada e convocada para depor. Quatro homens suspeitos de participar do crime (Michel Brazil da Silva, de 20 anos, Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, Raphael Assis Duarte Belo, de 41 anos, que aparece na imagem do lado da jovem, e Marcelo Miranda da Cruz Correa, de 18 anos, envolvido na divulgação das imagens da vítima) tiveram a prisão preventiva pedida pela polícia. 

De acordo com a polícia Civil, o número de homens que participaram do estupro coletivo pode chegar a 36. A jovem fala em 33. 




Últimas de Rio De Janeiro