Freixo convoca tuitaço contra Crivella

Candidato do PRB também anunciou que não irá ao debate da Record, marcado para domingo

Por O Dia

Rio - O candidato Marcelo Freixo (Psol) anunciou um tuitaço para às 20h desta quinta-feira, convocando Marcelo Crivella (PRB) para o debate no SBT. A emissora tinha intenção de promover um debate, mas não houve acerto sobre datas.

Sem desfecho para o impasse, o SBT confirma apenas os debates de São Gonçalo, Niterói, Caxias e Nova Iguaçu, para a semana que vem. O cenário já está pronto, mas como Cristo Redentor e Bondinho do Pão de Açúcar são símbolos do Rio, o palco teria sido montado para o debate da capital e reaproveitado para os demais.

Cenário de debate será usado para confronto entre candidatos de Niterói, São Gonçalo, Nova Iguaçu e Duque de CaxiasDivulgação

Até às 17h30, a hashtag #NãoFogedoDebateCrivella estava entre os 10 assuntos mais comentados do Twitter.

Em sua página oficial, Crivella informou que estará no debate da Rede TV no dia 18/10 e no da TV Globo no dia 28/10, além de todas as sabatinas e entrevistas marcadas.



Ataques e críticas

No início deste segundo turno, Freixo passou a atacar Crivella por se recusar a participar de debates e, a partir de agora, deve partir para o confronto. O candidato afirmou nesta terça-feira que a Crivella adota uma "atitude covarde, lamentável".

Já Crivella tenta administrar a vantagem.  Além da recusa ao SBT, anunciou que não participará de um confronto promovido pelo jornal O Globo. Ainda não deu resposta sobre os programas da Rede TV! e da TV Globo. Como as emissoras só promovem debate se os dois candidatos comparecerem, a recusa de Crivella impede Freixo de expor seus projetos.

Com tempo para apresentar suas propostas no horário eleitoral neste segundo turno, Freixo - que passou de 22 segundos diários no primeiro turno para 20 minutos agora - usou os primeiros programas para apresentar sua biografia e um clipe com artistas como Chico Buarque e Caetano Veloso.

"Freixo está se apresentando ao eleitor, o que não tinha tempo de fazer na TV no primeiro turno. Muito eleitor ainda não o conhece. Ele teve apenas 18% dos votos e só foi ao segundo turno porque havia vários candidatos de centro-direita que dividiram os votos desse segmento", disse o cientista político da PUC-Rio Ricardo Ismael.

Mais conhecido, Crivella - cujo tempo na TV passou de 2 minutos e 22 segundos para 20 minutos diários - aproveitou os primeiros programas para apresentar propostas. "Crivella reuniu jovens da periferia, um público em que tem menos votos, e discutiu propostas concretas de geração de renda. O eleitor está cada vez mais cético quanto aos políticos, por isso não adianta falar ‘vou fazer isso, vou fazer aquilo’. Tem que mostrar propostas", afirmou Ismael.

Com Estadão Conteúdo

Últimas de Rio De Janeiro