Informe do DIA: PDT fora do governo Pezão

Lupi diz que o PDT votará de forma independente os itens do pacote de austeridade enviados pelo governo estadual

Por O Dia

Rio - O PDT bateu o martelo ontem e decidiu não assumir secretarias no governo Pezão. A resposta foi dada pelo presidente nacional do partido, Carlos Lupi, ao presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani (PMDB). Antes de tomar a decisão, Lupi conversou com o líder do PDT na Alerj, Luiz Martins, e com os outros seis deputados do partido, que tem a segunda maior bancada da Casa.

Lupi diz que o PDT votará de forma independente os itens do pacote de austeridade enviados pelo governo estadual. Com relação ao aumento da alíquota previdenciária de 11% para 14%, afirma que seria necessário condicionar a implementação da medida à garantia do pagamento em dia de servidores e aposentados. “Outro aspecto essencial é saber se essa taxa será só por dois anos ou se tem risco de ser prorrogada. Não vamos assinar cheque em branco sem saber todos os detalhes.”

Estado grave
Hoje é dia 20, e o governo ainda não anunciou o plano de pagamento do salário referente ao trabalho realizado em dezembro. Sintoma grave da atual situação financeira. Nos últimos meses, os anúncios vinham saindo, mais tardar, dia 18.

Otimismo
Apesar disso, Pezão tem demonstrado confiança na recuperação do estado. Aposta tudo no acordo com o governo federal e na aprovação do pacote na Alerj. Amigos dizem que ele tem demonstrado bom humor como há muito não se via.

Calicute 2
Numa roda de conversa, quarta-feira, um grupo de políticos do Rio demonstrava preocupação com a possibilidade de nova operação da Polícia Federal, nos moldes da Calicute, que prendeu Sérgio Cabral. Diziam que deveria ocorrer antes do Carnaval, em fevereiro.

Pergunta de R$ 1 milhão
Resta saber de que forma a morte do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal e relator da Lava Jato, impactará as investigações.

Nomeação
E as (não) nomeações para cargos continuam dando dor de cabeça a Marcelo Crivella. Agora é Graça Pereira quem anda chateada. O prefeito lhe prometera espaço na Fundação Planetário, mas colocou outra turma para orbitar o local.

Escritor
Ex-prefeito de Caxias, que não conseguiu emplacar o sucessor, Alexandre Cardoso (PSD) recusou convite do ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab (PSD-SP), para assumir a presidência da Nuclep, sediada em Itaguaí. Dedicará seu tempo a escrever livro sobre como melhorar a situação financeira dos municípios em meio à crise.

Últimas de Rio De Janeiro