Tiroteio assusta moradores e fecha postos de saúde em Niterói

Segundo PM, cinco suspeitos foram presos durante a operação policial

Por O Dia

Rio - Um tiroteio assustou moradores e fechou módulos do Médico de Família em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, nesta terça-feira. De acordo com informações do Comando de Operações Especiais (Coe), militares através dos batalhões de Choque e de Ações com Cães realizaram uma operação na comunidade do Viradouro, em Santa Rosa.

Operação da PM em NiteróiReprodução Internet

Segundo a Polícia Militar, durante a ação do Choque, homens armados atiraram contra as equipes e houve confronto. Cinco suspeitos foram presos na operação. Os miltares apreenderam também três pistolas, munições e carregadores, além de drogas. 

Em nota, a Prefeitura de Niterói informou que para garantir a segurança dos usuários e profissionais do Médico de Família das localidades do Preventório e Viradouro, Grota e Cavalão, foram fechadas por causa da operação policial. O mesmo ocorreu com as unidades em locais como Souza Soares e Morro do Céu.

Já na rede municipal de ensino, a prefeitura informou que as aulas não foram suspensas. Por segurança, os alunos não foram levados para as áreas externas, mas permaneceram em atividade nas escolas.

Mulher é atingida por bala perdida

No início desta tarde, uma mulher foi atingida na perna por uma bala perdida dentro de um ônibus, em Charitas, área nobre de Niterói. Segundo relatos, na ocasião, havia um intenso tiroteio nos morros do Cavalão e do Proventório. Não há informações sobre o estado de saúde da vítima. A ocorrência foi registrada na 79ª DP (Jurujuba). O caso ocorreu horas depois de um bandido fazer passageiros reféns em um ônibus da linha 409M (Alcântara-Niterói).

Passageiros feitos reféns

Jhon Lennon Silva Barbosa, de 25 anos, se rendeu após uma negociação com a polícia. Com o suspeito foi apreendida uma pistola falsa. De acordo com relatos, ele disse que precisava de dinheiro para comprar o leite dos filhos.

Em seguida, um ônibus da linha 143M (São Gonçalo - Niterói) foi assaltado no mesmo local. Motorista do coletivo, Romeu da Silva, 48 anos, contou que o homem entrou no veículo e levou o dinheiro do caixa. "Todo dia é isso. A gente se sente inseguro, pois infelizmente a polícia não dá conta de tudo. Não tem como!", disse o motorista aflito.

Últimas de Rio De Janeiro