Informe: Justiça determina afastamento do presidente da Fundação Bio-Rio

Instituição teve contas bancárias bloqueadas

Por O Dia

Rio - Por indícios de fraude e desvio de recursos públicos em contratos de R$ 300 milhões assinados com a prefeitura na gestão de Eduardo Paes (PMDB), a Justiça determinou o afastamento do presidente e do secretário-geral da Fundação Bio-Rio e o bloqueio das contas bancárias da instituição.

A juíza Paula Menezes Caldas, da 49ª Vara Cível, encontrou “fragilidades gravíssimas” em auditoria. Disse ainda, em decisão publicada anteontem, que há “divergência de valores registrados em contas e ausência de informações das atividades realizadas na execução dos contratos e convênios firmados” com a Secretaria de Saúde.

Suspensão

Em fevereiro, a 15ª Vara de Fazenda Pública já havia determinado a suspensão do convênio da Bio-Rio com a prefeitura. As decisões da Justiça ocorrem após Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público do Rio.

Origem

Em abril do ano passado o Informe revelou, em apuração de Fernando Molica, que o MP iniciara investigação para analisar a contratação, pela prefeitura, de médicos não concursados por meio de convênio com a Bio-Rio e a Faculdade de Medicina da UFRJ.

Água no chope

A Ambev desistiu de construir uma fábrica para a produção de garrafas e latas em Santa Cruz. O protesto de deputados contra a isenção fiscal de R$ 650 milhões oferecida pelo governador Pezão à empresa foi determinante. A companhia comunicou a desistência ao Palácio Guanabara ontem à noite após reunião no escritório da multinacional nos Estados Unidos.

Desarme

Com sede na Cidade da Polícia, em Benfica, a Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) terá 35 agentes e dois delegados. O titular será Fabrício Oliveira.

Psol e Bolsonaro

Ao menos em um ponto os adversários Psol e Carlos Bolsonaro (PSC) concordam. Apesar de serem como água e óleo, o partido de esquerda e o direitista assinaram documento para instalar CPI para investigar gastos do Porto Maravilha na gestão de Paes. Tarcísio Motta (Psol) criticou ontem, em discurso, vereadores da base do prefeito Marcelo Crivella (PRB) que se recusam a pôr o nome na lista.

Redução de danos

Um experiente observador diz que, diante da quantidade de políticos que aparecem na lista de Janot, Paes, mesmo citado, pode permanecer como nome forte para o governo estadual em 2018. “Para quem sobreviver à erupção desse vulcão, queimadura vira tatuagem.”

Últimas de Rio De Janeiro