Promotores treinam autodefesa no Bope

Curso inclui aulas práticas de tiro e lutas

Por O Dia

Rio - Promotores que precisam de escolta ou sofrem ameaças começam hoje a ser treinados por policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) para autodefesa. Aulas teóricas já ocorreram no primeiro curso do tipo aos membros do MP.

“O treinamento visa questões protetivas. Ele tem uma abrangência maior que a dos já ministrados a outros promotores, que só receberam aulas de tiros”, afirmou um integrante da Coordenadoria de Inteligência do Ministério Público Estadual, que pediu para não ser identificado.

Nos dias de treino, os promotores serão tratados como verdadeiros ‘caveiras’, como são chamados os integrantes da tropa de elite da Polícia Militar. Todos já ganharam blusas com o emblema do Bope com seu nome bordado no peito.

Entre as mulheres que estão treinando está a promotora Carmen Eliza Bastos, que atuou no caso do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza, morto dentro da base da UPP Rocinha, em 2013.

“O curso tem nos proporcionado conhecer de perto a técnica nas operações especiais e o excelente trabalho que está à disposição da sociedade. O conhecimento da forma de execução de operações e dos riscos a elas inerentes possibilita, enquanto Promotora de Justiça, a análise justa da atuação policial”, afirmou. 

A promotora Valéria Videira, que atua no sistema prisional, também faz parte da turma. "A instrução tem nos ensinado e orientado sobre situações práticas.
Praticarmos mesmo que um pouco ao lado deles, além de nos deixar alertas, nos mostra o quanto é difícil conjugar o equilíbrio e frieza necessários para o enfrentamento diário com o crime organizado", disse.

Outro aluno é o promotor Paulo Roberto Mello que apura crimes militares praticados por policiais. “O treinamento é importante. Além da segurança institucional, dá ao Promotor, individualmente, algumas noções de segurança pessoal e de como agir em eventuais situações de risco, seja por si só, seja em cooperação com os agentes da sua escolta”, opinou. O curso terá seis aulas práticas, com instruções de luta e tiro.

Últimas de Rio De Janeiro