Crivella lança programas sociais para reduzir vulnerabilidade social de famílias

De acordo com o prefeito, as iniciativas visam acompanhar o desenvolvimento de crianças, desde o pré-natal até os seis anos de idade

Por O Dia

Rio - O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, lançou nesta segunda-feira, os programas Primeira Infância Carioca (PIC) e Territórios Sociais, no auditório do Centro Administrativo São Sebastião (CASS), na Cidade Nova. De acordo com o prefeito, as iniciativas visam acompanhar o desenvolvimento de crianças, desde o pré-natal até os seis anos de idade, e reduzir a vulnerabilidade social de famílias que vivem em áreas de baixo IDS (Índice de Desenvolvimento Social).

O Instituto Pereira Passos (IPP) fez um mapeamento das 180 regiões da cidade onde o IDS é reduzido. Das 9.611 famílias entrevistadas, pouco mais de 1.200 foram identificadas como de risco social. Crivella disse que a Prefeitura tem feito investimentos para diminuir essa desigualdade na população carioca.

Crivella se reuniu com secretários nesta segunda-feira, na Cidade NovaDivulgação

"Nós precisamos estar à frente desses programas. Na Zona Sul, temos quatro homicídios por 100 mil moradores, mas na Pavuna esse número sobe para 40 homicídios e, em Nova Iguaçu, chega a 60. Faço aqui um apelo para que juntos a gente consiga reduzir essa desigualdade abissal", disse o prefeito.

Os dois projetos fazem parte das diretrizes do Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro — Rio 2020: mais solidário e mais humano. O objetivo é inserir as famílias mais vulneráveis nos programas de políticas sociais da Prefeitura. Para a secretária Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Teresa Bergher, os programas vão ajudar a tirar cerca de 100 mil crianças da situação de vulnerabilidade.

"Vamos criar oportunidades de desenvolvimento infantil. As famílias já estão identificadas. Agora, nós vamos lá para aplicar o questionário, ver o grau de vulnerabilidade para poder encaminhá-las aos serviços sociais", afirmou Teresa Bergher.

Segundo a prefeitura, programas têm ações integradas por diversas secretarias. Eles preveem visitas domiciliares para atualizar o cadastramento das famílias nas unidades de atenção primária de referência; a matrícula de crianças e adolescentes em escolas da rede municipal; e a intermediação de mão de obra, com qualificação e formação de profissionais.  

Já a secretária de Saúde em exercício, Beatriz Busch, também acredita no sucesso da ação integrada de vários órgãos. "Nossos agentes serão instrumentos facilitadores para encontrar no território quem mais precisa de assistência."                                                      

O Instituto Pereira Passos será responsável pelo monitoramento e pela  avaliação dos projetos. A gestão ficará a cargo da Secretaria Municipal da Casa Civil, em articulação com as secretarias de Educação, Saúde, Assistência Social e Direitos Humanos, Emprego e Inovação, Urbanismo, Infraestrutura e Habitação, e Cultura.

Também participaram da cerimônia de lançamento dos programas o senador Eduardo Lopes, presidente do PRB no Rio, o presidente do IPP, Mauro Osório da Silva, e os secretários Rubens Teixeira, Indio da Costa e Clarissa Garotinho.

Últimas de Rio De Janeiro