'Vamu' compartilhar o carro?

Aplicativo de carona reúne grupo de pessoas com destino semelhante com objetivo de reduzir custos e poluição

Por O Dia

Rio - Trânsito intenso, poluição em excesso, custo de vida alto. Em meio a algumas vantagens de se morar em uma grande metrópole como o Rio de Janeiro, esses três problemas se destacam como pontos negativos para boa parcela da população.

Mas um aplicativo para smartphones promete diminuir esses incômodos no cotidiano carioca. Trata-se do Vamu, uma rede social de mobilidade urbana, que consiste em reunir grupos de carona, de forma gratuita, em funcionamento há quatro meses.

A dinâmica é simples: se cinco pessoas saem do mesmo lugar ou lugares próximos e vão para um mesmo local com seus veículos particulares, o Vamu estimula o rodízio espontâneo. "Sempre tive um incômodo de andar com um carro vazio. Eu parava na faculdade para dar carona para quem precisasse. Em março de 2013, com meu amigo Ivan, que eu dava carona, perguntei: já viu a quantidade de gente dirigindo sozinho?", conta o empresário Armando Machado, de 57 anos, um dos idealizadores do aplicativo.

Enquanto fazia o trajeto entre Barra da Tijuca, na Zona Oeste, e São Cristóvão, na Zona Norte, Machado convidou o amigo e carona, o administrador Ivan Guedes, e junto com o analista de sistemas Ricardo Saint Clair começaram a tirar a ideal do papel. Além dos três, a equipe do Vamu conta com os desenvolvedores do aplicativo, Phillipe Lemos e Diego Félix de Almeida.

Ganho no bolso, no tempo e no meio-ambiente

A economia na carteira é significativa. Afinal, em um carro só, o grupo utiliza apenas uma vaga nos estacionamentos, cada vez mais caros e com menos espaços. Também um só pedágio é pago para quem passar por vias expressas concedidas à iniciativa privada. Nessa conta, ainda há a economia de gastos com combustível. 

Fábio (primeiro à esquerda) e a 'Galera do Vôlei' que utiliza o aplicativo Vamu%3A economia no bolso e na naturezaarquivo pessoal

O fator segurança também é levado em consideração. Como a ideia do Vamu é criar grupos de colegas de trabalho ou vizinhos, pessoas totalmente desconhecidas não entrarão no carro dos usuários.

O trânsito intenso no Rio de Janeiro, considerado o 8º mais congestionado do mundo pela empresa de GPS TomTom, é atenuado com mais pessoas no veículo. "Encarar engarrafamento é mais fácil, não vê o tempo passar se estiver acompanhado, o stress vai lá embaixo", justifica Machado.

Com a carona compartilhada, a natureza também agradece. Menos carro nas ruas significa menos emissão de dióxido de carbono.

E foi pensando em todos esses ganhos que o designer Fábio Freitas Silva, de 47 anos, tornou-se usuário do Vamu. A "galera do vôlei" da qual o desginer participa, utiliza o aplicativo para praticar o esporte, duas vezes por semana, em um condomínio da Barra da Tijuca. "Acho a ideia fantástica. A gente economiza gasolina, economiza estacionamento, que às vezes está lotado, tira os os carros das ruas, polui menos", enumera o designer.

Ainda em fase inicial, o Vamu já pensa em parcerias para se tornar sustentável. Grandes empresas, estacionamentos e lojas de conveniências estão na mira do aplicativo para facilitar cada vez mais a vida dos usuários. “As empresas podem incentivar seus funcionários a criarem grupos de caronas cedendo vagas de estacionamento gratuito para esses grupos, por exemplo. O Vamu pode fornecer relatórios periódicos informando os dados de economia direta e o desconsumo de combustível e de gases emitidos”, explica Machado.

No site do Vamu é possível calcular a economia feita por pessoa a cada utilização do aplicativo, que está disponível para os sistemas iOS e Android.

Últimas de Rio De Janeiro