Mulheres de policiais fazem manifestação na Praia de Copacabana

Este ano, 119 policiais já foram assassinados. Familiares cobram providências do Estado

Por O Dia

Rio - Cerca de 30 pessoas do movimento "Esposas e Familiares, Somos Todos Sangue Azul" promoveram um ato em frente ao Posto 3, na Praia de Copacabana, Zona Sul do Rio, na manhã desta quarta-feira. Este ano, 119 policiais já foram mortos. As mulheres dos agentes cobram providências do Estado. 

Mulheres e familiares de policiais fazem ato em CopacabanaSeverino Silva / Agência O Dia

"Viemos buscar Justiça para os PMs e paz para o Estado do Rio. Não é normal um policial, que teria que defender as pessoas, ser assassinado. Já são 119 e ninguém faz nada. Aqui temos familiares de policiais mortos e de policiais que estão na ativa. É frustrante saber que eles morrem e se tornam apenas um número. Eu rezo todo dia para que o meu marido não seja mais uma vítima", disse Rogéria Quaresma, de 37 anos, casada com um subcomandante da PM. 

O microempresário Sérgio Galvão, 52, ainda não sabe como o filho, o sargento Michel Galvão, 32, morreu. Michel foi morto em fevereiro deste ano, em uma operação na favela do Jacarezinho. "O meu filho deu a vida pela sociedade. Ele foi morto no estado falido. Até hoje a Divisão de Homicídios não deu resposta sobre a morte dele. Não sei como ele morreu. Ele tinha duas lojas em Nova Iguaçu e fechou tudo para entrar na PM. Lutou, conseguiu passar na prova e honrava o que fazia".  


Últimas de Rio De Janeiro