Mano critica CBF por impasse sobre uso de Dedé e descarta poupar titulares

Confederação aguarda ofício que libera os 12 suplentes para continuarem em campo pelos seus respectivos campeonatos

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Mano Menezes continua sem saber se poderá escalar Dedé contra o Santos
Mano Menezes continua sem saber se poderá escalar Dedé contra o Santos -

Minas - O impasse envolvendo a utilização dos jogadores listados como suplentes da seleção nacional na rodada deste fim de semana no Campeonato Brasileiro provocou críticas envolvendo um dos clubes afetados diretamente pela indefinição: o Cruzeiro. Ainda sem saber se poderá escalar Dedé, domingo, contra o Santos, no Pacaembu, o técnico Mano Menezes atacou a CBF.

"Hoje é sexta e ainda não sabemos se vamos poder utilizar um jogador importante como é o Dedé, porque ainda não temos uma posição da Confederação Brasileira, que me parece que tem chance de acontecer até as 15 horas de hoje. E que se não vier, não vamos poder utilizar o jogador na rodada. Algo, eu diria, inaceitável, para tantas informações como temos hoje, em todos os segmentos. São coisas inaceitáveis", afirmou, em entrevista coletiva na Toca da Raposa II.

A Fifa veta a participação dos 35 jogadores inscritos para a Copa em partidas de futebol realizadas a partir da última segunda-feira. A exceção está na final da Liga dos Campeões e nos jogos da Copa Libertadores - a Conmebol pediu autorização com antecedência. A CBF perdeu o prazo para solicitar a mesma autorização, mas alega que a data era anterior à divulgação dos convocados.

Assim, a confederação ainda esperava um ofício da Fifa liberando os 12 jogadores excedentes que estão na lista de convocados para a Copa. Sem o documento, eles não poderão entrar em campo. Caso isso se confirme, Mano não poderá usar o zagueiro Dedé, que teria a sua vaga ocupada por Murilo.

Após o Cruzeiro entrar em campo na última terça-feira pela Libertadores, avançando em primeiro lugar na sua chave ao bater o Racing por 2 a 1, Mano avisou que descarta a possibilidade de poupar os titulares contra o Santos.

"Até a parada da Copa será só o Brasileiro e poderemos ter aproveitamento melhor que obtivemos até agora. Temos condições para isso. Não temos outra razão para não escalar o que temos de melhor daqui para frente. Cada semana é um que tem um dia a menos de preparação. Temos de focar no trabalho, focar bem no treinamento, é ele que te leva a ir bem no jogo", declarou o treinador, que não poderá contar com Arrascaeta, na seleção uruguaia, e Rafinha, lesionado, diante do Santos.

O técnico do Cruzeiro também explicou que a meta até a pausa do Brasileirão por causa da disputa da Copa do Mundo é colocar o Cruzeiro entre os quatro primeiros colocados. No momento, a equipe está na 13ª posição, com sete pontos, a quatro do quarto colocado Palmeiras.

"Esperamos terminar entre os quatro primeiros nesta primeira parte. O Brasileiro está muito parelho, ninguém saltou lá na frente como fez o Corinthians no ano passado. Temos condições de melhorar nosso aproveitamento e vamos tentar isso", completou Mano.