Mais Lidas

Falta de manutenção pode provocar alagamento das garagens e curto-circuito

Com o período de fortes chuvas no Rio, os condomínios devem estar atentos aos cuidados necessários para proteger as instalações

Por Marina Cardoso

vistoria chuva predio
vistoria chuva predio -

Rio - Com o período de fortes chuvas no Rio neste verão, os condomínios devem estar atentos aos cuidados necessários para proteger as instalações. A falta de manutenção nesses espaços dos empreendimentos pode acarretar inúmeros prejuízos, como alagamento das garagens subterrâneas, alagamento nos elevadores, curtos-circuitos e choques. Por isso, a vistoria deve ser feita para evitar danos ao condomínio e aos moradores.

Segundo Simone Ramos, consultora condominial da administradora Lowndes, a manutenção em todos os espaços do condomínio deve ser periódica. “Quando a gente está falando de limpeza e vistoria nas instalações do condomínio, o cuidado deve ser uma rotina. Recomendo que a limpeza seja feita toda semana, e há casos em que talvez seja necessário limpar em um menor espaço de tempo”, explica.

Para o engenheiro Celso Amaral, diretor da empresa Amaral D’avila Engenharia, não há entre os condomínios um planejamento para os cuidados básicos nas áreas comuns. “Na maioria dos casos, as questões são definidas de modo pouco técnico. É feita apenas uma maquiagem no empreendimento e não há preocupação com as prevenções. É necessário um planejamento com especialistas”, afirma.

Um dos principais problemas causados pela falta de manutenção é com relação às bombas de poço. Para os condomínios com garagem subterrânea, o espaço pode ficar inundado se as bombas não estiverem funcionando corretamente. “A revisão desse circuito e ter um sistema de bombas reserva, em níveis diferentes, com boias em níveis diferentes, vai fazer com que o condomínio corra menos risco”, afirma David Gurevitz, engenheiro e diretor do Grupo Delphi.

Atenção nos elevadores 

Outro cuidado importante é realizar a revisão no telhado da edificação, pois pode haver telhas em falta no local. “Além disso, a água pode corroer a parte estrutural das lajes. Por isso, a necessidade de revisão de telhado e de impermeabilização das lajes superiores”, afirma Gurevitz. 

Também é recomendado vistoria nos ralos das áreas comuns e coberturas, limpeza semanal nas calhas e na tubulação de esgoto de 6 em 6 meses. Nos elevadores, o cuidado deve ser para ver se há entrada de água nos poços e atinja as máquinas dos aparelhos. Esses locais podem encher de água e há o risco de curto-circuito nos motores ou queima dos motores. “Se houver água no poço, não ligue as máquinas até que a situação seja analisada pela empresa de manutenção para evitar acidentes”, explica Simone.

 

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários