Confira uma análise das rainhas de bateria que passaram pela Sapucaí em 2017

Veja também o ranking das estrelas que brilharam neste carnaval.

Por O Dia

Convidado pela coluna, o especialista em carnaval Dam Menezes fez uma análise das rainhas de bateria que desfilaram na Marquês de Sapucaí neste ano de 2017.  "Um ano para esquecer. Rainhas pouco inspiradas e com desfile mediano marcou o Carnaval 2017", disse Dam, que elegeu Juliana Alves, da Unidos da Tijuca, como a melhor da folia carioca.

Carol Marins - Tuiuti
Abriu bem os desfiles. Fez uma performance bonita e tradicional. Faltou um ápice que desse um brilho a mais tanto na fantasia quanto em sua passagem.

Paloma Bernardi - Grande Rio
Fantasia exagerada em proporções deixou a atriz pesada, em uma escola solta, com energia e vibracao faltou isso tudo na rainha que optou por coreografar T-O-D-A a sua passagem, deixando para raros momentos de samba no pé e explosão. Voltando a falar de fantasia, não era o melhor molde para uma majestade.

Cris Vianna - Imperatriz Leopoldinense
Ela teve uma das mais infelizes indumentárias de seus 5 anos de reinado. A fantasia pareceu larga na parte da calcinha e apertada na parte do pescoço e isso mostrou incomodo na atriz. Porém a imagem da emoção de um enredo que toca e de uma despedida de um posto de uma rainha nota mil ficam na imagem deste mulherão que é um verdadeiro monumento.

Sabrina Sato - Vila Isabel
Sabrina foi uma das melhores da noite. Seu ponto negativo foi a interpretação dada ao tema de sua fantasia. O publico acabou achando que ela representava uma Yemanjá , por conta da personificação estar na cabeça da fantasia, alias era um personagem que qualquer rainha gostaria de desfilar por conta da leitura e modernidade, Rainha do Funk . Nas paradinhas da Swingueira Sabrina não aproveitou para dançar passos do ritmo que incorporava. Porém por outro lado, ela tem cada vez mais desfilado com fluidez, leveza e elegância, seu samba no pé é cada vez mais lindo de se ver.

Viviane Araujo - Salgueiro
Vivi desfilou muito bem. Um dos maiores fatores foi ela ter largado o tamborim, claro que é lindo vê-la tocando, mas ela fica muito mais solta e atenta a reinar sem ele. Se ano passado ela não foi feliz em personificar e carnavalizar ao mesmo tempo. Esse ano ela acertou em cheio! Fantasia de fácil leitura e de bom gosto ao receber um costeiro simples e que deu toque tradicional.

Raissa Oliveira - Beija Flor
Melhor rainha da noite! Raissa fez um dos melhores desfiles em seus 15 anos de escola. Totalmente dentro do enredo e da proposta da escola de estar sem brilho, ela criou sua india com muita pintura corporal, maquiagem e uma fantasia repleta de cores. Brincando como as índias de Parintins ela trouxe um algo a mais. Ela se transformava em uma ave. Ela veste sempre o seu personagem, trejeitos e passos indigenas marcavam sua performance. Seu samba no pé é um show a parte, impecável. Fantasia pesada mas ao mesmo tempo desfile leve, fluído e continuo.

Tania Oliveira - Uniao da Ilha
Tania possuiu uma fantasia que além de linda foi eleita por muitos uma das melhores do carnaval. Tania esbanjou energia e carisma e teve o samba na ponta da lingua. Um ótimo desfile para a rainha. Uma delicia ver seu visual, mas toda delicia tem sua dor, a fantasia aparentava pesar bastante e isso aparentava em seu rosto, e também performance que foi um pouco mais contida do que o habitual. Mas uma estreia bastante feliz para a rainha e a escola, que demorou esse ano para eleger sua majestade mas foi bastante feliz. Vida longa.

Raphaela Gomes - Sao Clemente

Se tem uma rainha que é só felicidade é a Raphaela. Melhor desfile da majestade que estava em ritmo de festa, primeiro desfile com a maior idade e vem chegando a maturidade, que alias, já é um reflexo nítido em seu desfile. A única observação fica para o seu estilista, aonde deu a fantasia de tema musical uma leitura de "sol". Mas de longe a jovem desfilou com a sua melhor fantasia, alias uma das melhores fantasias de rainha da história da escola.

Camila Silva - Mocidade
Camila foi uma resposta ao pedido de uma comunidade que vinha infeliz com suas majestades anteriores. E a melhor resposta para uma comunidade é se rasgar no samba no pe, alias, quando se fala dela, fala de samba no quadril, um dos mais bonitos de se apreciar. Sorriso, porte, postura e majestade foram pontos altos. A leveza e a imagem impressa ao seu rosto de êxtase e realização foi de emocionar quem viu o resultado negativo de seu reinado de 2013 na escola. Hoje integrada a escola, fez valer a leitura de garra e entrosamento que mostrou na avenida. Aliás, a mulata nem parecia que assumiu o posto em menos de 1 mês. Né?

Juliana Alves - Tijuca

Ela é sinonimo de guerreira! Heróica a atriz assistiu a toda repercurssai do acidente ! Muito emocionada ela mostrou que a frente da bateria tem uma apaixonada e nao uma atriz. Ela bem que tentou atuar como uma rainha, mas era impossivel dar cor ao sorriso amarelo de dor pelo acidente lamentavel que a escola passou. A bateria nao recuou e ela passou batida pela avenida, na correria de encerrar o desfile, mal sambava. Mesmo abalada emocionalmente Ju linkou uns passos interessantes, de poder, e inclusive mais leves e elegantes que o habitual. Ela tinha planejado uns passos de Rock que nao colocou em pratica. Seu ponto alto foi a fantasia, uma das melhores da noite e uma das melhores que a atriz já usou na escola, uma verdadeira rainha do rock e com personificação de elementos de Elvis Presley.

Bianca Monteiro - Portela
Uma das mais elaboradas fantasias do Carnaval. Henrique Filho foi muito feliz com a indumentária, um peixe totalmente personificado e fora do trivial. Bianca tem um samba lindo, que aprendeu em sua bagagem no samba e que com o tempo vai conseguir dosar e dar leveza a sua performance. Com o tempo vai aprender a desfilar a frente de uma bateria, que é bastante dificil! Um pouco perdida, a rainha foi a única das majestades a nao apresentar a bateria para os jurados. Ha quem ache estiloso sua cara fechada, mas teve quem reclamou da falta de sorrisos e graciosidades da moça que optou por mostrar apenas seu lado guerreira.

Evelyn Bastos - Mangueira
Oleo na pista não intimidou a rainha recordista de tempo no posto da Mangueira, 4 anos. Moderada, a rainha mesmo assim conseguiu dar um show de samba no pé e leveza, com um enredo e uma fantasia catolica a rainha trocava olhares com o céu, que deu um toque singelo e de conectividade a fantasia e sensibilidade ao enredo, pequenos gestos com grande significado. Fantasia muito bonita, simples, mas de facil leitura, do jeito que o publico gosta, suas asas eram lindas mas deu a impressão de que iria cair.

AS 6 melhores Rainhas e BateriaArte%3A O Dia Online