01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

O HYUNDAI NA MEDIDA

Por O Dia

Lançamento estratégico, o Creta Sport alavanca a onda SUV e as vendas da bem resolvida novidade da Hyundai. O agradável carrinho tem agora em oferta a versão Sport, testada por nós em 780 quilômetros de estradas em boas condições e algumas nem tanto, como o Caminho Real, que ajudou a escoar o nosso ouro para as cortes europeias nas eras coloniais.

O Creta, quem já observou, notou que ele parece mais dimensionado que os rivais diretos da Honda e da Ford, tem 'presença' como o Jeep Renegade e face familiar que lembra os sucessos da marca aqui no Brasil.

'Made in' Piracicaba, o Creta tem como atributos um moderno e confiável motor, nesta versão acoplado a câmbio automático de seis marchas e bons resultados de desempenho com economia, estabilidade e conforto. Mencionei a estratégia por conta do Sport ocupar exatamente a faixa intermediária entre o topo Prestige e o básico Pulse, sem o interior bi-color do topo que não agrada a todos os consumidores. Pleno nos pretos, esbanja black piano no spoiler, retrovisores externos com repetidores e acabamento das rodas diamantadas de 17 polegadas, que são exclusivas para a versão. A grade frontal e o para-choques esconderam os itens cromados. O carro ficou bonito e de bom gosto com os faróis escurecidos em LED com luzes diurnas DRL. As lanternas traseiras também são escurecidos e o discurso Sport é reforçado ainda pela antena tubarão em preto brilhante, no teto.

Andamos em uma das primeiras unidades produzidas, que ainda não tem preço definido, mas que irá ficar entre R$ 95 mil e R$ 98 mil.

No Sport a marca resolveu que o motor é o 2.0 de até 166 cv, quando no etanol, e câmbio automático de seis marchas. Não há opção 1.6.

No interior mais preto, agora fosco metalizado, bancos de couro e tecidos da forração do também em... preto. O pacote de equipamento tem controles de tração e estabilidade, ar-condicionado do automático digital, monitoramento da pressão dos pneus, sensor de estacionamento traseiro, com câmera, assistente de partida em rampa, direção elétrica progressiva, retrovisores elétricos, computador de bordo e piloto automático com controles no volante, faróis de esquina e acendimento automático dos faróis. No Sport, detalhes da topo Prestige, como a tela central de 7 polegadas toutchscreen e várias funções. Som de qualidade, Bluetooth e compatibilidade Android Auto e Apple CarPlay facilitam a vida.

Na pista o Creta vai muito bem. O start-stop nos sinais fechados reduz o consumo que gira em torno dos 10 quilômetros por litro de gasolina, uma boa média dado o tamanho e peso do carro. A posição de dirigir é muito boa, com visibilidade total e comandos bem à mão. O acelerador automático auxilia em longas pistas retas com funcionamento intuitivo nas retomadas. A iluminação do interior é bem dimensionada e agradável e transmite a impressão de estar ao volante de um carro maior. Na volta para o Rio uma tempestade tropical mostrou aerodinâmica e distribuição de massas bem resolvida, com a condução, em ritmo menor, mas sem stress. Um bom carro. Um grande competidor.

Comentários