01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

Defesa de Temer: 'Golpe!'

Advogado do presidente dispara críticas a Janot ao entregar relatório na CCJ

Por O Dia

A defesa do presidente Michel Temer entregou ontem, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara, a argumentação contrária à segunda denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR). O advogado Eduardo Carnelós divulgou nota onde reforça a tese de que a segunda denúncia contra o peemedebista é uma "narrativa confusa", "inepta" e inverossímil". "Constitui, portanto, uma tentativa de golpe", destaca.

Em um texto cheio de ironias ao ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, o defensor de Temer diz que o Ministério Público Federal tentou criminalizar o exercício da atividade política ao acusá-lo de organização criminosa.

"O que se constata é a imputação de prática de crime pelo simples exercício da atividade política, como se esta pudesse existir sem acordos partidários visando à aprovação de projetos de leis, entre outros atos pertinentes", diz.

Na mensagem, o advogado critica os métodos "sórdidos" utilizados pelo ex-PGR e pelos delatores da JBS para atacar Temer e ressalta que a nova peça é um desdobramento de um processo já "viciado". "O 'arqueiro' resolveu buscar em outro bambuzal material para suas flechas, sem imaginar que os petardos que disparara antes teriam efeito bumerangue e acabariam por revelar os putrefatos meios de que se valera para alvejar Temer", ironizou o advogado.

Carnelós lembrou que as investigações apontaram indícios de que delatores estiveram sob orientação de membros do MP Federal e ressaltou que um dos procuradores deixou a função para defender a JBS. Ao final, o advogado se disse confiante que a Câmara vai enterrar mais uma denúncia contra Temer.