Olha o Ovo!

Os carros de ovos, que vendem até 30 unidades por R$ 10, viraram uma febre e fazem a alegria de milhares de famílias diariamente nas favelas e no asfalto

Por FRANCISCO EDSON ALVES

Venda de ovos.
Venda de ovos. - Reprodução

'Corra freguesia! São 30 ovos por R$ 10! Eu disse R$ 10! Ovos graúúúúdos! A galinha chorooou, Coitada!!!". O anúncio, feito com estardalhaço, exaustivamente, em tom de humor duvidoso, ecoa em alto-falantes, anunciando a chegada do `carro do ovo. Um fenômeno nacional que ganhou as ruas. A espalhafatosa e estridente propaganda vem de veículos de passeio, kombis e caminhões. No Rio é uma febre, aquecida pelas redes sociais, que divulgam trajetos e espalham memes.

O inusitado comércio, como lenda urbana, gera especulações divertidas quanto à origem de tantos ovos, vendidos freneticamente nas favelas e no asfalto. Apesar de ainda não ser regulamentada por isso não há números oficiais , a atividade gera também ocupação e renda. É o caso do ex-bancário Daniel Ferreira, 35 anos, que descobriu "a galinha dos ovos de ouro".

"É lucrativo, mas é preciso disposição", atesta Daniel. Há um ano ele usa seu carro para despejar diariamente 4.690 ovos ou 156 cartelas com 30 nas panelas de donas de casa de cerca de 50 ruas do Rio, Niterói e São Gonçalo. Além de sustentar esposa e três filhos, Daniel se deu ao luxo de 'contratar' dois amigos desempregados: o professor de Português, Davi Velasco, 24, e o servente Gilcemar Vasconcelos, 44.

Assim como outros 80 revendedores (estimativa deles), todos os dias Daniel levanta às 4h e, às 6h, está na Ceasa, em Irajá, na Zona Norte. É de lá que sai boa parte dos 6,1 milhões de ovos produzidos anualmente no estado, segundo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-Rio). Outra parte vem de São Paulo, Minas e do Sul.

FESTA DOS CONSUMIDORES

O aposentado Heraldo Ferreira, 67, não esconde que é um "baba ovo" do alimento popular mais badalado do momento e que a família faz até festival de receitas com o "coringa" da cozinha. "Ex-vilões da saúde, ovos são ricos em vitaminas do Complexo B", justifica. "Ovos itinerantes são bem mais baratos. No supermercado, a dúzia custa R$ 6", diz Neiva Souza, 47. "Tem uns que vêm até com duas gemas", brinca Vera Cerqueira, 69.

Se o mundo parece que vai acabar em ovos a ponto de deixar, inclusive, moradores da Rua Costa Rubim, em Realengo, com vontade de jogar ovo choco no carro que toca "Galinha Pintadinha" e "Galo Carijó", de domingo a domingo, às 8h , a tendência é o aumento da produção.

"Contemplamos 400 agricultores com o Kit Caipira (R$ 4 mil para cada um comprar 60 galinhas e construir galpão e área de ciscagem). As galinhas fluminenses são mais saudáveis porque não são confinadas", canta de galo José Henrique Moraes, gerente de Pequenos e Médios Animais da EMATER-Rio.

O carro do ovo virou até sucesso na voz de cantores populares, em diversos ritmos. É o caso do clipe '30 Ovos Dez Reais', de Mr San, do Rio. O divertido vídeo, com mais de 3 minutos, é um funk que fala da felicidade de quem vende e compra no carro do ovo. Já teve quase 7 mil visualizações. E do impagável forró 'Leve e Pague 40 Ovos', de um tal Cris Kinho, já assistido por mais de 36 mil internautas. A obra tem até efeitos especiais com uma galinha gigante.

Galeria de Fotos

Daniel pega no batente às 4h, para garantir os ovos dos fregueses, como Ricardo e Neiva Estefan Radovicz/Agência O Dia
O Pastor e empreendedor, Daniel Campos Ferreira, vende ovos nas ruas de Niteroi. Personagens,Neiva de Sousa e seu marido, Ricardo Peres. Estefan Radovicz/Agência O Dia
O Pastor e empreendedor, Daniel Campos Ferreira, vende ovos nas ruas de Niteroi. Estefan Radovicz/Agência O Dia
A Vigilância Sanitária do Rio adverte: o consumo de ovos sem procedência comprovada é perigoso DIVULGAÇÃO EMATER-RIO
Galinha caipira. Duvulgação
A onda do carro do ovo gerou músicas como o funk carioca '30 Ovos Dez Reais', de Mr San Reprodução
Venda de ovos. Reprodução

Comentários