Por

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região negou, ontem, pedido de prisão para Régis Fichtner, ex-chefe da Casa Civil do governo Cabral, contrariando pleito do Ministério Público Federal. O órgão havia pedido a prisão preventiva dele, libertado duas semanas após ser preso em novembro, sob alegação de que a soltura comprometeria as investigações. O TRF2 também concedeu parcialmente habeas corpus para o ex-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Henrique Alberto Santos Ribeiro, e para os empresários Maciste Granha de Mello Filho e George Sadala.

Você pode gostar
Comentários