Corpo de boêmio é velado em bar com samba e cerveja liberada

Filho cumpriu pedido do pai, que disse que não queria tristeza. Apenas de cerveja foram 11 caixas de litrão e 20 de latão

Por O Dia

Espírito Santo - O corpo de um famoso boêmio de Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, foi velado em um bar, com samba, amigos e cerveja liberada. Gleisson Silva, de 68 anos, era há mais de 30 anos dono do comércio. Segundo seu filho, Glaucio Fragoso da Silva, de 42 anos, a festa para quase três mil pessoas ocorreu a seu próprio pedido, no último sábado.

Gleisson Silva pediu ao filho para ser velado com festa no bar que comandava há 30 anos Reprodução Facebook

"Meu pai, quando ia ao velório de algum amigo, voltava triste e cabisbaixo. E ele sempre dizia: 'no meu velório não quero tristeza, quero samba, quero ser velado dentro do bar'", revelou Glaucio à "TV Gazeta". Atualmente, é ele quem cuida do bar.

Gleisson foi vítima de um acidente vascular cerebral na terça-feira de Carnaval e foi internado em um hospital local. Após isso, ele sofreu três paradas cardíacas e morreu na manhã da sexta-feira seguinte.

Amigos de Gleisson em seu velório no bar Reprodução Internet

"Acho que ao todo, entre idas e vindas, umas três mil pessoas passaram para ver meu pai. É muito bom saber que seu pai quando morre é bem quisto", falou Glaucio emocionado. Os amigos e familiares saíram de Vitória, do Rio de Janeiro, além de Cachoeiro. Foram tantas pessoas reunidas que a Guarda Municipal teve que intervir para orientar o trânsito.

Foram consumidas 11 caixas de litrão de cerveja, 20 caixas de latão e 15 litros de cachaça. "Foi uma pena que ele não pode aproveitar com a gente", falou o filho.

Últimas de Brasil