Ciro Gomes sobre impeachment: 'Governo ruim passa ligeiro, democracia não'

Em vídeo, político também afirmou que Eduardo Cunha, presidente da Câmara, é 'ladrão e quadrilheiro'

Por O Dia

Rio - Em novo vídeo divulgado em sua página do Facebook, nesta terça-feira, o ex-governador do Ceará Ciro Gomes criticou o processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. No discurso, Ciro voltou a falar sobre um golpe em curso contra Dilma . "Nós chegamos a um limite que uma pessoa que tem todos os defeitos do mundo como governante está sendo atentado contra o seu mandato por um conjunto de ladrões", afirmou. Gomes encerrou o discurso afirmando que "governo ruim, se a gente não gosta, passa ligeiro. Democracia não".

No decorrer do vídeo, o político seguiu criticando os deputados que votaram em favor do prosseguimento da cassação de Rousseff e voltou a chamar o presidente da Câmara dos Deputados de "ladão e quadrilheiro". "O Eduardo Cunha é ladrão. Eu conheço o Eduardo Cunha há muitos anos. Ele é quadrilheiro, é ladrão, ele é bandido. Eu chamei ele de ladrão a cinco metros dele, e ele como ladrão que é nem se quer reagiu. Ele esperou 10 dias pra me processar na justiça, onde eu o chamei de ladrão de novo".

LEIA TAMBÉM: Ciro Gomes chama Cunha de ‘maior vagabundo’

'Não podemos fazer de conta que não estamos vendo esse espetáculo'. Ciro Gomes se referindo ao pedido de impeachment de Dilma RousseffAgência Brasil

"Acho que o santuário da democracia é o parlamento. Não podemos fazer de conta que não estamos vendo esse espetáculo. Ontem [se referindo ao dia da votação do parecer em que o relator, o deputado Jovair Arantes (PTB-GO) deu parecer favorável ao processo de cassação de Rousseff] dos 38 deputados que votaram a favor da cassação, 35 estão respondem a processo de corrupção", disse.

O político afirmou que é preciso tomar cuidado com aquilo que ele classifica como atentado a democracia. "Este ciclo que eles estão querendo interromper tem 27 anos. A idade da juventude. Apenas 27 anos. Nós temos uma democracia eleitoral. Nosso povo só é lembrando da sua agenda: escola, saúde, transporte, violência, nas vésperas das eleições. Acaba as eleições, o parlamentar vem pra cá e o povo se dispersa e o povo toma conta que é um lobby", afirmando que os parlamentares não estão importando com aquilo que a população brasileira está precisando atualmente.

Ciro Gomes afirmou que a juventude tem que ficar alerta, naquilo que ele afirma ser um golpe contra a democracia. "Eu sou confiante. Nossa geração ganhou todas quando eu comecei a lutar. Nós sabíamos claramente o que queríamos: anistia, eleição direta, constituinte, enfrentamento da inflação, ganhamos todas pelo milagre da democracia e da política", diz.

Procurada, a assessoria do presidente da Câmara dos Deputados afirmou que Eduardo Cunha não vai se manifestar a respeito das declarações de Ciro Gomes.

Confira o vídeo:

Últimas de Brasil