Prosegur diz que quadrilha levou menos de US$ 8 milhões em assalto no Paraguai

A Polícia Federal (PF) deteve pelo menos dez suspeitos de participar do assalto, oito dos quais foram surpreendidos no Paraná nas últimas horas

Por O Dia

Assunção - A quadrilha que assaltou a sede da empresa de segurança Prosegur em Ciudad del Este, no Paraguai, roubou uma quantia que "não supera os US$ 8 milhões", esclareceu nesta terça-feira a empresa, após versões da imprensa que apontavam um montante entre US$ 20 milhões e US$ 40 milhões.

A empresa de segurança espanhola destacou em um comunicado que, apesar das "circunstâncias excepcionais vividas ontem em Ciudad del Este", não houve nenhuma "incidência" no serviço prestado pela Prosegur no Paraguai, e acrescentou que colabora com as autoridades para a resolução do caso.

PCC estaria por trás de maior roubo da história do Paraguai%2C ocorrido nesta segunda-feiraReprodução Twitter

O assalto foi atribuído à organização criminosa Primeiro Comando Capital (PCC), que invadiu as instalações da Prosegur durante a madrugada de segunda-feira. As primeiras versões da imprensa davam conta de que o montante roubado oscilava entre US$ 20 milhões e US$ 40 milhões.

A polícia paraguaia revistou duas propriedades em Ciudad del Este, em uma das quais apreendeu munição, cartuchos, capuzes, coletes à prova de balas, roupas camufladas, luvas e miras de rifle, segundo informou nesta terça-feira o Ministério Público. A outra propriedade é de uma pessoa sobre a qual foi emitida uma ordem de prisão e que supostamente tinha quatro identidades paraguaias diferentes.

A Polícia Federal (PF) deteve pelo menos dez suspeitos de participar do assalto, oito dos quais foram surpreendidos no Paraná nas últimas horas. Na operação, a PF confiscou de seis fuzis, dois barcos, sete veículos, "muita munição" e vários coletes à prova de balas, segundo as fontes consultadas.

Outros dois foram detidos na segunda-feira após dois tiroteios com as forças de segurança na jurisdição de São Miguel do Iguaçu e Itaipulândia, na fronteira com o Paraguai, nos quais morreram três suspeitos.

A segurança na fronteira foi reforçada ontem por ordem do presidente Michel Temer, que determinou uma ativa colaboração com as autoridades paraguaias.

Um dos fuzis usados no mega assalto a uma empresa de valores%2C apreendido pela PRF em Ciudad del Este%2C no Paraguai%2C na fronteira com o BrasilDivulgação/PRF

Na ação, na qual participaram cerca de 50 membros do PCC fortemente armados, morreu um suboficial do Grupo Especial de Operações (GEO) e um policial e três civis ficaram feridos durante o assalto e a posterior fuga pelas ruas da cidade.

Os ladrões utilizaram quatro veículos, um deles um caminhão para transportar elementos de apoio (homens e explosivos), e enfrentaram a polícia antes de fugirem.

Últimas de Brasil