Maxi Priest retorna com ‘Easy To Love’

Cantor londrino de reggae estava sem gravar CD há sete anos

Por O Dia

Rio - Rei de uma vertente mais romântica e suingada do reggae (o chamado ‘lovers rock’, perfeito para pistas), o inglês Maxi Priest desfrutou de muita popularidade mundial entre os anos 80 e 90 — seus últimos hits de verdade por aqui, lá pelo começo da década passada, foram ‘Close To You’ e a releitura de ‘Wild World’, de Cat Stevens. O novo CD, ‘Easy To Love', chega após sete anos sem lançar disco.

“Demorei porque o modelo de negócios mudou todo. Precisei entender essas tecnologias novas, os downloads”, admite Maxi. “Fui sortudo de poder ter um número de hits que me permitisse excursionar sem gravar.”

Maxi nasceu em Londres%2C mas se sente próximo da cultura jamaicana Divulgação

O senso comum do imaginário pop associa o reggae à Jamaica. Com origens lá por parte da família, Maxi nasceu e se criou em Londres, e viveu um cenário bastante prolífico para o estilo nos anos 70. “De lá vieram também UB40, Aswad, Steel Pulse”, relembra. “Crescíamos em Londres buscando nossa identidade enquanto encarávamos o racismo. E o reggae dava essa identidade. Cresci cercado da cultura caribenha. Quando ia à Jamaica, os jamaicanos pensavam que eu era jamaicano também.”

A mãe de Maxi foi missionária da Igreja Pentecostal, mas o cantor se vê próximo do rastafarianismo, religião professada por ídolos do reggae como Bob Marley e Peter Tosh. “É minha cultura e minha maneira de viver. A religião está em tudo que faço e não existe nada sem Deus”, diz. Entre músicas novas como ‘Easy To Love’, ‘Loving You Is Easy’ e ‘Every Little Thing’, Maxi regravou ‘Gravity’, sucesso de John Mayer, em versão reggae. “Meu produtor a trouxe para que eu ouvisse e senti que ela pertencia a mim”, conta.

Últimas de Diversão