Ironia e crítica se misturam no Galo da Madrugada

Desfile pelas ruas do Recife reúne mais de dois milhões e inclui até casamento

Por O Dia

Pernambuco - Mais de dois milhões de pessoas, segundo a Polícia Militar, participaram, durante o dia de sábado, do desfile do bloco Galo da Madrugada pelas ruas de Recife, em Pernambuco. Este ano, as críticas políticas foram, sobretudo, aos envolvidos no pagamento e recebimento de propina em contratos da Petrobras investigados pela Operação Lava Jato. A novidade foi o casamento do cantor de frevo Nonô Germano com Daniela Freire, no alto de um trio elétrico.

A ‘presidenta Dilma’ se encontra com a ala ‘Propino Brá%24’ nas ruas de Recife%3A irreverência no desfileAE

Desde as primeiras horas da manhã, os foliões começaram a se concrentrar no Forte das Cinco Pontas, no bairro São José. Um dos destaques foi a ala Propino Bras, que reunia 45 amigos, todos vestidos de macacão verde, camisa branca e boné amarelo, e segurando uma bomba de gasolina da qual saíam notas. O grupo levava uma faixa com a inscrição “o petróleo é nosso, a propina é dele”, alusão ao esquema de corrupção na Petrobras.

Ao longo do trajeto, apareceram vários foliões caracterizados como personagens da política. O natalense Paulo Rogério, sósia do ex-presidente Lula, usava terno e uma algema. Teve ainda fantasia de Dilma e do ex-governador Eduardo Campos.

O professor Ivo de Andrade Lima, se fantasiou de Alberto Pau de Selfie, segundo ele uma alusão do doleiro Alverto Youssef, preso pela Polícia Federal. “Precisamos lavar dinheiro. Dinheiro sujo faz mal”, brincou. Mas não houve só ironia e críticas. No desfile, que só terminou por volta das 18h, os participantes homenagearam Eduardo Campos, o teatrólogo Ariano Suassuna e o compositor Luiz Gonzaga.

Últimas de Carnaval