Concurso Miss Brasil, que chega à 60ª edição, permite tatuagem e plástica

Disputa de beleza que resiste ao poder do tempo

Por O Dia

Rio - Para ser Miss Brasil, é claro que beleza é fundamental, mas a apresentadora Renata Fan garante que só isso não basta. “A mulher precisa ter atitude, simpatia, conhecimentos gerais e postura”, aconselha a loura, que venceu o concurso em 1999 e apresentará a disputa deste ano, exibida pela Band, hoje, a partir das 22h15, ao lado de André Vasco. 

As 27 candidatas que disputam o título do Miss Brasil 2014Divulgação


Direto de Fortaleza, a 60ª edição do Miss Brasil contará com a participação do cantor Emin e terá 27 candidatas do país inteiro desfilando em cinco trajes, entre eles o vestido de gala — criado, mais uma vez, pelo estilista mineiro Alexandre Dutra. “As peças desse ano são cheias de fluidez. Achei que era o momento de mudar. Às vezes, o público, pela TV, não consegue enxergar a diferença entre um vestido e outro exatamente por ser uma cor neutra. Dessa vez, abusei da seda, dessa coisa da leveza da mulher”, explica Dutra.

Para Renata, o tempo só facilitou a vida das candidatas, que hoje podem fazer cirurgia plástica e até tatuagem. “Eu acho interessante, porque, nesses oito anos em que estou acompanhando o concurso, pude comprovar que muita coisa mudou. Na minha época, era legal ter a forma mais voluptuosa. Hoje, as candidatas estão mais finas e firmes. Também podem fazer intervenções cirúrgicas. Eu não sou contra nada disso. Muito pelo contrário, isso mostra que as mulheres finalmente ganharam liberdade para mostrar o seu estilo.”

O que tira a apresentadora do sério é quando dizem que concurso de beleza é algo fútil. “Acho muito injusto. No mundo da moda, as meninas ficam horas sem comer para atender a todos os compromissos, mas as pessoas só enxergam o glamour. É o cúmulo julgar alguém por ser bonita. No fundo, as pessoas adoram o concurso. As que mais criticam são aquelas que gostariam de estar no lugar das misses”, alfineta.

A vencedora representará o país no Miss Universo 2014 e receberá a faixa da Miss Brasil 2013, Jakelyne Oliveira, levando para a casa a coroa, o vestido de gala e um carro zero quilômetro. “É um momento único, pois viajamos pelo mundo. E, acredite, é um ano que passa voando”, diz Renata. 

Carioca tem traços miscigenados

Aos 21 anos, romântica e católica praticante, a Miss Rio de Janeiro 2014, Hosana Elliot, acredita que desfilar de biquíni não significa um tabu para ela ou sua família. “Nunca entrei em conflito com a minha religião. O concurso mostra a alegria da menina, não tem vulgaridade”, garante.

Para vencer, a moça, que tem 1,82m de altura e pesa 60kg, acredita na força de seus traços miscigenados. “Acho que misturo bem a beleza negra com a branca e até a indiana. Ver algo natural chama a atenção das pessoas. Estou bastante confiante.”

Últimas de Televisão