Educação faz paralisação de 24 horas

Manifestação ocorre no dia em que Alerj retoma discussão do pacote de austeridade

Por O Dia

Rio - A retomada das discussões hoje na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) dos projetos do pacote fiscal do estado ocorrerá sobre pressão do funcionalismo. O pessoal da área da Educação, por exemplo, fará uma paralisação de 24 horas em protesto contra as medidas apresentadas pelo governador Luiz Fernando Pezão.

De acordo com o Sindicato Estadual dos Profissionais em Educação (Sepe), a partir das 9h, a categoria vai se concentrar no Buraco do Lume (Centro) para sair em direção à Alerj, onde os servidores estarão reunidos para pressionar os deputados que vão discutir o pacote do governo.

Já o Movimento Unificado dos Servidores Públicos do Rio (Muspe) vai aproveitar a reunião com líderes partidários na Alerj para apresentar as reivindicações. A principal delas será a retirada das 21 propostas do pacote de medidas do governo.

Além disso, os sindicalistas vão propor a criação de uma vara especial para execução da dívida ativa do estado da ordem de R$ 60 bilhões. Também entrará entrará na pauta a demissão de 20% dos 55 mil cargos comissionados e extraquadros e suspensão temporária das isenções fiscais. O Muspe pedirá ainda a aprovação das CPIs do Rioprevidência e das isenções fiscais. As entidades que compõem o movimento organizam manifestação na Assembleia.

Reunião com Estados

Para discutir políticas de austeridade com os estados, o Ministério da Fazenda vai reunir hoje governadores, em Brasília. Na mesa, estará entre as discussões o fim das aposentadorias especiais, medida que vem sendo discutida no âmbito da Reforma da Previdência.

De acordo com o secretário de Acompanhamento Econômico da pasta, Mansueto de Almeida Junior, é fundamental que os estados possam discutir um ajuste das despesas, “passando pelas folhas de pagamento, no curto prazo”. Ao contrário do governo federal, que empenha 22% das despesas com folhas, esses custos, nos estados, variam entre 60% e 70%.

Últimas de Economia