Seleção brasileira escapa da zebra

Brasil sofreu na estreia na Copa América contra o Peru

Por O Dia

Rio - O Paraguai já tinha reagido contra a Argentina na véspera, a Venezuela havia derrubado a Colômbia pouco antes, e o Brasil deveria ter desconfiado de que essa Copa América está aberta a surpresas. Mas não precisava colaborar tanto para isso logo aos dois minutos, com falha dupla de David Luiz e Jefferson, ambos por certa soberba, que permitiu o gol peruano.

Douglas Costa fez o gol da vitória do Brasil sobre o PeruEfe

Ainda bem que dois minutos depois, Neymar começou uma jogada no meio campo e a concluiu de cabeça, livre de marcação, fazendo 1 a 1. O jogo ficou muito bom, com raros passes errados, o Brasil um pouco superior, muito pela qualidade de Neymar, mas os peruanos sempre perigosos com jogadas bem articuladas por Sánchez, Farfán e Guerrero.

Contrariando as expectativas, o jogo piorou na fase final e os dois times caíram de produção. Dunga tentou com Douglas Costa no ataque e depois com a entrada de Firmino. Pela melhor categoria dos seus jogadores, o Brasil era um pouco mais perigoso, mas nada empolgava e até Neymar estava mais bem marcado e meio sumido. Mesmo assim, ele resolve. Nos acréscimos, fez ótima jogada para o gol da vitória de Douglas Costa. O Brasil, por Neymar, até mereceu, mas não convenceu.

Decepções e falta de gols no Mundial Sub-20

Ninguém poderia imaginar que Argentina, Alemanha e Portugal estivessem fora nas semifinais do Mundial Sub-20. Pois a trinca dançou e sobrou o Brasil, que pega Senegal e, se for à final, Mali ou Sérvia. Na madrugada de sábado para domingo, o Brasil se classificou jogando mal. Portugal dominou, mas foi incompetente nas conclusões a gol. O Brasil só se destacou pela dedicação e pela personalidade nos pênaltis. Em três jogos das quartas só houve um gol em sete horas e meia de futebol e não há promessa de um grande craque, como se viu em outras edições com Maradona, Messi e Neymar.

Bem mais focado

O Flamengo ainda está longe do que a torcida espera e talvez só deva encorpar a partir das melhores contratações - Guerreiro e Sheik. Mas não há dúvida de que, ao contrário do que ocorre no Cruzeiro, a saída de Vanderlei fez bem ao grupo. O time ainda se ressente de qualidade, não tem boa ligação entre os setores, mas o empenho é geral e todos se esforçam para superar os obstáculos - mesmo com dez homens obteve boa vitória sobre o fraco Coritiba e acena com campanha razoável.

O bom combate

O Botafogo segue bem na Série B, apesar de alguns problemas. Marcelo Mattos passou a viver situação instável não só pela dificuldade de pagamento do seu alto salário, acertado pela diretoria anterior, mas pelo seu futebol, que tem patinado. As boas notícias foram a confirmação da liderança isolada, com a derrota do Náutico, e a chance de contar em breve com a grande revelação da base, o garoto Luís Henrique. A renovação interna é a única saída para sobreviver bem.

Fez por onde

O Fluminense poderia ter saído com um melhor resultado do Allianz Parque, mas cometeu erros pontuais e pagou caro. Fez bom primeiro tempo, Jean marcou belo gol, mas a defesa falhou e permitiu o empate, em cabeçada de Rafael Marques. Voltou mal, só se defendendo, e as coisas pioraram com a expulsão bizarra de Magno Alves, após dois pontapés em Gabriel. Depois foi só sufoco até o fim, com a expulsão de Gum e o merecido gol de vitória palmeirense. Atuação inconsistente do Flu.

Está demais

O Vasco parece não ter jeito com o seu elenco fraco e que conseguiu piorar em relação ao Carioca. A exibição contra o Cruzeiro foi pífia não só pelos erros individuais, mas pela postura tática - aí Doriva tem culpa no cartório. O Vasco não poderia se expor tanto a um adversário forte, e, depois que tomou o primeiro gol, se abriu aos contra-ataques do Cruzeiro. São poucas as perspectivas de mudança, Doriva não deverá segurar a barra e o drama é que um novo técnico não resolve.

Últimas de Esporte