Preso por sonegação, ex-presidente do Bayern deixará cadeia em fevereiro

Uli Hoeness voltou a trabalhar na base do time alemão em 2015 e agora teve sua pena reduzida por bom comportamento

Por O Dia

Alemanha - Condenado a três anos e meio de prisão em 2014 por sonegação de impostos enquanto presidia o Bayern de Munique, o ex-jogador alemão Uli Hoeness deixará a prisão no próximo dia 29 de fevereiro, informou a Justiça da cidade de Augsburgo.

Desde o início de 2015, Hoeness foi autorizado a trabalhar com as categorias de base do Bayern pela manhã, tendo que retornar à cadeia para passar a noite. Agora, o dirigente foi beneficiado com a redução de pena por bom comportamento.

Uli Hoeness vai deixar a prisão no próximo mêsDivulgação

O Tribunal de Augsburgo anunciou nesta segunda-feira que aceitava a solicitação de Hoeness de sair da prisão. Porém, estabeleceu uma série de medidas a serem cumpridas nos próximos três anos.

Hoeness foi declarado culpado por ter sonegado 28,5 milhões de euros em impostos. O crime foi cometido em negócios particulares do dirigente, mas tinham relação com sua função no Bayern.

Há expectativa que, após sair da prisão, Hoeness volte a assumir uma função importante dentro do clube. Ele é considerado como principal responsável pela ascensão recente do Bayern, onde também exerceu o cargo de diretor esportivo antes da presidência.

A ligação de Hoeness com o Bayern é longa. Ainda como jogador, o ex-dirigente foi um dos principais nomes da conquista da primeira Liga dos Campeões do Bayern, em 1974. No mesmo ano, ele fez parte da seleção da Alemanha que venceu a Copa do Mundo.

Últimas de Esporte