Mineirinho, Daniel foge do oba-boa

Após gols, meia quer comer pelas beiradas

Por O Dia

Rio - Sem fugir ao estereótipo dos mineiros, Daniel, nascido em Juiz de Fora, não quer saber dos holofotes após os três gols na goleada (6 a 0) sobre o Criciúma. O garoto de 20 anos quer seguir na mesma batida, conquistando seu espaço pelas beiradas.

Daniel foi o nome da partida contra o Criciúma marcando três gols Fernando Souza / Agência O Dia

O meia chegou aos juniores do Botafogo em fevereiro de 2013, depois de saída conturbada do Cruzeiro. E não demorou para conquistar a confiança de Anthony Santoro, treinador da categoria na época.

No primeiro jogo, entrou no segundo tempo e fez o gol da vitória sobre o Nova Iguaçu pela Taça Rio. Era o início de sua meteórica trajetória até a promoção ao profissional.

“Sempre soubemos que ele teria futuro, porque possui características que nenhum outro jogador do clube tem. Daniel tem uma capacidade de finta, drible e improviso muito grande. Sempre vertical, em direção ao gol”, conta Anthony.

Daniel com companheiros e Anthony Santoro assistindo a Bayer Leverkunser x Hannover pelo Campeonato Alemão%2C no período da Spax Cup%2C conquistada pelo Botafogoarquivo pessoal

No bicampeonato da Spax Cup, na Alemanha, e no vice da Blue Stars Cup — Mundial da Fifa de Juniores —, na Suíça, Daniel foi o destaque alvinegro, vestindo a mítica camisa 7. Desde então, passou a ser considerado grande promessa e subiu de categoria no início de 2014. O contrato foi renovado e a multa rescisória passou para 20 milhões de euros.

Apesar de todas as atenções, agora, estarem voltadas para o garoto, Anthony Santoro acredita que o meia não perderá o foco. “Ele é tranquilo, nunca me deu problema. Os pais vieram para o Rio e estão por perto. Não vai ter deslumbramento”, garante o treinador, que deixou o Botafogo em setembro de 2013.