Em dia de homenagem a Jefferson, Roger Carvalho salva o Botafogo

Goleiro completa 400 jogos pelo clube; time decepciona, mas luta até o fim e empata com o Oeste, no Estádio Nilton Santos

Por O Dia

Rio - A festa não foi completa. No dia em que o goleiro Jefferson completou 400 jogos, o Botafogo decepcionou e por pouco não amargou uma derrota. Porém, aos 44 minutos do segundo tempo, Roger Carvalho salvou a terça-feira e fez o gol de empate com o Oeste: 1 a 1, no Estádio Nilton Santos, pela Série B do Campeonato Brasileiro.

Aos 44 minutos do segundo tempo%2C Roger Carvalho salvou o BotafogoAndré Mourão / Agência O Dia

O Botafogo entrou embalado por quatro vitórias seguidas. Antes de a bola rolar, homenagem a Jefferson, que recebeu uma camisa especial das mãos de Wagner, ex-goleiro campeão brasileiro em 1995. Porém, o time não conseguiu retribuir a festa que se desenhou para o ídolo. Sem criatividade, penou e ainda viu o Oeste abrir o placar. A sorte é que Roger Carvalho evitou a derrota.

FOTOGALERIA: Festa para Jefferson e decepção: o empate entre Botafogo e Oeste

O Glorioso continua na liderança da Série B, agora com 49 pontos, mas viu a vantagem para o Paysandu diminuir para dois pontos. Na próxima rodada, nesta sexta-feira, às 21h30, o Fogão encara o Boa Esporte no Estádio Municipal de Varginha. O Oeste entra em campo no sábado e recebe, às 16h30, o Bragantino.

O jogo

O Botafogo tentou pressionar o Oeste no começo do duelo. Aos três minutos, Sassá chutou e obrigou o goleiro Leandro Santos a trabalhar. O atacante quase marcou aos 19. Lançado em velocidade, ele tentou um toque na saída do goleiro. Porém, Leandro Santos salvou.

Jefferson completou 400 jogos pelo Botafogo e foi homenageado pelo clubeAndré Mourão / Agência O Dia

O duelo ficou morno. O Botafogo tinha a posse de bola, mas não conseguia criar. O Oeste buscava o contra-ataque e quase surpreendeu. Serginho cortou cruzamento. Júnior Lopes estava pronto para marcar. A melhor chance alvinegra aconteceu nos acréscimos. Jean rolou para Elvis. O chute passou perto do travessão. Sem muita agressividade, o Fogão foi para o intervalo com 0 a 0 no placar e ouviu algumas vaias da torcida.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Botafogo

Ricardo Gomes mexeu logo no intervalo e deixou o time mais ofensivo com a entrada de Neilton, recuperado de lesão muscular, no lugar de Neilton. O Glorioso por pouco não marcou. Daniel Carvalho cruzou para área e Sassá quase desviou. Ele foi agarrado no lance, em pênalti ignorado pela arbitragem. O Oeste deu o bote e encaixou um contra-ataque e abriu o placar. Renan Mota aproveitou cruzamento da direita e bateu de primeira, sem chances para Jefferson: 1 a 0.

Doeu... Sassá leva a pior em dividida com o goleiro Leandro SantosAndré Mourão / Agência O Dia

O Botafogo partiu para o ataque. Daniel Carvalho, em cobrança de falta, obrigou Leandro Santos a espalmar. Ricardo Gomes mudou de novo e colocou o jovem Luis Henrique. Daniel Carvalho saiu. O Fogão encontrava dificuldade para criar. O jeito foi arriscar de fora da área. Leandro Santos espalmou chute de Camacho. Depois, salvou em cobrança de falta de Tomas. Na cobrança de escanteio, porém, ele saiu mal e não achou nada. Roger Carvalho completou para o fundo da rede: 1 a 1, aos 44 minutos do segundo tempo, decretando o empate.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 1X1 OESTE

Estádio: Nilton Santos
Público e renda: 6.477 pagantes / 7.333 presentes / R$ 131.700,00
Árbitro: Sávio Pereira Sampaio
Gols: Renan Mota (Oeste, aos 2' do 2ºT) e Roger Carvalho (Botafogo, aos 44' do 2ºT)
Cartão amarelo: Kahê, Leandro Santos e Leandro Melo (Oeste) e Tomas (Botafogo)
Cartão vermelho: -

BOTAFOGO: Jefferson; Luis Ricardo, Renan Fonseca, Roger Carvalho e Jean; Serginho (Neilton, no intervalo), Willian Arão, Camacho, Daniel Carvalho (Luis Henrique, aos 17' do 2ºT) e Elvis (Tomas, aos 26' do 2ºT); Sassá; Técnico: Ricardo Gomes.

OESTE: Leandro Santos; Paulo Henrique, Júnior Lopes, Ligger e Fernandinho; Elivelton (Leandro Melo, aos 33' do 2ºT), Patrick, Mazinho e Guilherme; Renan Mota (Wangler, aos 26' do 2ºT) e Kahê (Junior Negão, aos 23' do 2ºT); Técnico: Roberto Cavalo.