Após jogos de quarta, Fla aumenta chances de título. Flu fica mais longe do G-6

Rubro-Negro ampliou de 2% para 4% as possibilidades de levantar o hepta

Por O Dia

Rio - A 35ª rodada ainda não acabou, mas a vitória sobre o América-MG fez o Flamengo voltar a sonhar com o título do Brasileirão. Faltando quatro jogos, que serão disputados nesta quinta-feira, para o término da rodada, os cariocas aparecem de forma momentânea com 4% de chances de levantar o título. As possibilidades do Rubro-Negro dobraram após os três pontos conseguidos em Minas Gerais. Líder da competição, o Palmeiras, que volta aos gramados nesta quinta-feira, contra o Atlético-MG tem 89%. O Santos, que também entrará em campo nesta quinta, contra o Vitória tem 7%.

Flamengo voltou a vencer após quatro partidas no BrasileirãoReprodução Facebook

Na luta para disputar a Libertadores há três equipes garantidas: Palmeiras, Flamengo e Santos, justamente os clubes que ainda brigam pelo título. O Atlético-MG está bem próximo com 99%. Logo atrás vem o Botafogo, que mesmo com a derrota para a Chapecoense permaneceu em quinto e tem 87% de chances de ficar no G-6. O Atlético-PR, que empatou com o Fluminense, está na sexta colocação tem 58%. O Corinthians perdeu a chance de entrar no G-6 ao empatar com o Figueirense tem 32%. Logo atrás vem o Grêmio, que encara o São Paulo no Morumbi nesta quinta, com 14%. A Chapecoense com 4%, o Fluminense com 3% e Cruzeiro, São Paulo e Ponte completam a lista com 1%.

Fluminense segue sem conseguir vencer no BrasileiroNelson Perez/ Fluminense F.C. / Divulgação

A rodada decretou o rebaixamento de Santa e América-MG derrotados por Coritiba e Flamengo, respectivamente. Com o empate em casa, o Figueirense ficou muito perto de cair e tem risco de 99%. Principais rivais para evitar a 17ª colocação, Inter e Vitória entram em campo nesta quinta. No momento, o Colorado tem o risco maior: 53%. Os baianos têm 40%. Em posição menos difícil, o Sport tem 4% de risco, depois vem Coritiba com 2%. São Paulo e Ponte Preta completam os times com risco de 1%.