Vasco convive com a certeza de dias melhores na Colina

Empolgado com mudanças recentes no clube, Wendel confia em boa atuação no clássico com o Fluminense

Por O Dia


Rio - Garra dentro de campo e serenidade fora dele. Essas sempre foram as principais características de Wendel. Motivado pelas mudanças recentes no clube — como o pagamento dos salários atrasados e a chegada do técnico Dorival Júnior e do meia Juninho — , o volante confia na evolução do grupo no decorrer da temporada e aposta em um resultado positivo já no clássico com o Fluminense, domingo, no Maracanã.

Juninho é uma das esperanças para recuperação do VascoCarlos Moraes / Agência O Dia

“Isso é bom. Muita gente fala que isso não atrapalha, mas ajuda muito no lado psicológico. Você ter tudo em dia, só informações boas, certidões (negativas) que podem sair a qualquer momento, patrocinadores novos, a chegada do Juninho, é muito positivo. Você vê o clube conseguindo coisas boas e isso motiva a gente. Esperamos que dentro de campo possamos acompanhar essa dedicação e empenho do clube. É muito bacana, esperamos já, juntamente com a direção, fazer com que a situação seja diferente no jogo contra o Fluminense”, afirmou.

Ao falar sobre o clássico, Wendel lembrou que uma vitória será fundamental para que o Vasco deixe a zona de rebaixamento. Convicto de uma boa atuação no domingo, ele citou o triunfo sobre o Atlético-MG como um exemplo a ser seguido pelo grupo.

“O Campeonato Brasileiro ainda está no início. Com três pontos você vai lá para cima da tabela. O Flamengo saiu dessa posição incômoda ao nos vencer. Sabemos que a nossa equipe é qualificada, pode brigar de igual para igual e mostramos isso contra o Atlético. Podemos fazer bons jogos se atuarmos daquela forma”, garantiu o volante.

Mesmo confiante, Wendel prevê um confronto difícil no Maracanã e alerta para os perigos da equipe tricolor. “O Fluminense é o atual campeão brasileiro, disputou a Libertadores e tem o melhor atacante do Brasil. Tenho certeza de que uma vitória vai nos ajudar a crescer na competição e sair da parte de baixo da tabela”, afirmou o camisa 17, que revelou ainda ter sido procurado por clubes do futebol francês.

“Eu tive sondagens, mas de oficial o Vasco não recebeu nada. Contatos de pessoas que ligaram para o meu procurador para saber da minha situação no Vasco, só isso”, disse.

Vasco lucra mais do que o Fla em Brasília

O clássico de domingo entre Vasco e Flamengo, no Mané Garrincha, rendeu financeiramente menos que o esperado. Os dois clubes pagaram juntos quase R$ 2 milhões para realizar o jogo em Brasília e lucraram um pouco mais do que a metade da renda, de R$ 4,071 milhões.

Sem penhoras, o Vasco, mandante da partida no Mané Garrincha, recebeu o valor cheio a que teriam direito os clubes: R$ 1.056.768,83. O Flamengo, por sua vez, sofreu uma penhora de 15% sobre o valor que receberia e levou para casa R$ 898 mil.