Ibovespa cai 1,54% e dólar tem maior alta do ano

Expectativa eleitoral e tensão geopolítica pressionaram o desempenho do índice, que perdeu a faixa dos 56 mil pontos. Dólar está cotado a 2,42

Por O Dia

O agravamento das tensões geopolíticas no Oriente Médio e na Rússia espalhou aversão ao risco pelos mercados de todo o mundo e pressionou o desempenho do Ibovespa, que amargou queda de 1,52%, aos 55.962 pontos. O giro financeiro foi de R$ 6,2 bilhões. O índice terminou no vermelho em seis dos últimos sete pregões, impactado principalmente pela expectativa eleitoral, uma vez que a presidenta Dilma Rousseff (PT) aumenta gradativamente sua vantagem sobre Marina Silva (PSB) nas pesquisas – movimento que não agrada investidores do mercado de capitais.

“O mercado está esperando a divulgação do Datafolha amanhã e os papéis das estatais e dos bancos recuaram e pressionaram o Ibovespa. Muitos relatórios apontam que o tempo maior de televisão tem sido decisivo para o avanço de Dilma”, disse o operador da Quantitas Asset Management Thiago Montenegro.

Petrobras PN recuou 1,38%. Banco do Brasil ON teve queda de 3,43% - o movimento foi acentuado pela possibilidade de o governo vender, em uma negociação bilionária, as ações do banco que pertencem ao Fundo Soberano do Brasil para aumentar o superávit primário de 2014, o que poderia reduzir o valor de mercado da instituição à metade. Entre os bancos privados, Bradesco PN caiu 2,39% e Itaú PN recuou 3,13%.

À frente dos ganhos, Gol PN subiu 1,73%. Na contramão, CCR recuou 4,11%. As ações preferenciais da Vale, por sua vez, caíram 0,61% em meio à nova queda no preço do minério de ferro, cuja tonelada está cotada a US$ 78,60 no mercado da China – nova mínima em cinco anos.

Nos Estados Unidos, a discussão sobre o adiantamento da alta da taxa de juro volta à tona após discursos de presidentes regionais do Federal Reserve. Na agenda, as encomendas de bens duráveis caíram 18,2% em agosto, em linha com a expectativa enquanto o número de pedidos de auxílio desemprego aumentou para 293 mil na última semana.

À parte dos indicadores, os principais índices de Wall Street terminaram no vermelho com o agravamento das tensões geopolíticas. Na Rússia, os parlamentares estariam considerando uma medida para confiscar bens de estrangeiros. No Iraque e na Síria, a coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos, segue com os ataques aéreos contra alvos do Estado Islâmico. O Dow Jones caiu 1,54%, o S&P recuou 1,62% e o Nasdaq perdeu 1,94%.

Dólar

No mercado de câmbio, o dólar teve a maior alta diária do ano ao avançar 1,95%, cotado a R$ 2,429 na venda, o patamar mais alto em quase oito meses. A disparada da divisa se deu mesmo após o aumento da intervenção do Banco Central no mercado e refletiu a aversão ao risco no cenário externo, alimentado pelas tensões geopolíticas e pela expectativa do aperto monetário já nos primeiros meses de 2015 nos Estados Unidos. No cenário doméstico, o movimento foi reforçado pelas incertezas em relação às eleições.

Últimas de _legado_Notícia