Ministra do STF decide por CPI exclusiva da Petrobras

Rosa Weber atende a pedido formulado por senadores da oposição. Governistas queriam ampliar a abrangência da comissão. Ainda cabe recurso ao plenário

Por O Dia

Brasília - Na queda de braço entre governistas e opositores sobre a abrangência da CPI para investigar a Petrobras, ganhou a oposição. A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber determinou, no final da noite de ontem, que o Senado instale uma CPI exclusiva para apurar supostas irregularidades na estatal petroleira.

Gabrieli disse que ‘Dilma não pode fugir da responsabilidade dela’Henrique Manreza/Brasil Economico

A ministra atendeu a pedido de parlamentares da oposição, que queriam ter garantido o direito de uma comissão específica para a Petrobras. Eles querem que a comissão investigue a compra da refinaria de Pasadena no Texas (EUA) e o pagamento de propina a funcionários.

Governistas queriam uma CPI ampliada, que incluísse investigações de obras sob suspeita em estados governados pela oposição. Mas o pedido foi rejeitado.

A decisão é liminar (provisória) e valerá até que o plenário do Supremo decida sobre o tema. Governistas ainda poderão recorrer ao plenário do Supremo. Na semana passada, Rosa Weber pediu informações ao Senado antes de tomar a decisão. O presidente da Casa, Renan Calheiros, defendia uma CPI ampliada.

Ontem, três comissões permanentes da Câmara aprovaram convites para que o ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli compareça à Casa para explicar a compra da refinaria de Pasadena. Os requerimentos foram feitos por parlamentares da oposição após a publicação de entrevista no jornal ‘O Estado de S. Paulo’, no domingo, em que Gabrielli assumiu a responsabilidade sobre a operação, mas dividiu o ônus com a presidenta Dilma Rousseff.

Últimas de _legado_Brasil