Sindicatos e movimentos sociais fazem ato de apoio à Petrobras em todo país

Além de apoiar a estatal, protesto dos sindicalistas defende a reforma política e é contra as medidas de ajuste fiscal

Por O Dia

Rio - Manifestações em defesa da Petrobras mobilizam centenas de pessoas em diferentes estados do Brasil nesta sexta-feira. Integrantes de centrais sindicais e movimentos sociais, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) convocaram manifestações para esta sexta em 25 capitais. A CUT e outras centrais sindicais estão em passeata na avenida Paulista no ato que faz parte do Dia Nacional de Lutas. Por volta de 15h45, segundo a Polícia Militar, havia cerca de 6.000 pessoas, mesmo com a chuva que atinge a região.

Segundo a estimativa dos manifestantes, 40 mil ocupam a Avenida Paulista. O protesto dos sindicalistas é a favor da Petrobras, da democracia e da reforma política, e contra as medidas de ajuste fiscal que prejudicam os trabalhadores e foram anunciadas pelo governo nos últimos meses.

Sindicalistas pedem por reforma política na Av. Paulista Taba Benedicto/ Parceiros/ Agência O Dia

Além de SP e Rio, as manifestações de trabalhadores ocorrem no Amapá, em Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Salvador, São Luís, Rio Branco e Vitória. Em nota, o coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel, defendeu a necessidade urgente de lutar pela soberania nacional e pelo emprego dos petroleiros e o controle das reservas.

Leia: Sindicalistas realizam manifestação a favor da Petrobras na Cinelândia

Em entrevista em frente à sede da estatal, o presidente da Confederação dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Onofre Gonçalves, disse que o ato desta sexta é contra o pedido de impeachment da presidenta da República Dilma Rousseff, embora não seja uma ção contrária ao protesto marcado para o próximo domingo no país.

Ato em defesa da Petrobras na Avenida Paulista Taba Benedicto/ Parceiros/ Agência O Dia

“Nosso ato não é contra outro ato. Nosso ato é em defesa da soberania nacional e da Petrobras. Quem quiser falar contra isso, faça o ato no domingo”, destacou. “Se tem alguém querendo um terceiro turno, isso não está escrito na Constituição. A eleição brasileira é em dois turnos. Se alguém está esperando o terceiro deve esperar as próximas eleições”, acrescentou.

No Rio, a CUT faz uma passeata na Cinelândia contra os ajustes fiscais promovidos pelo governo e a favor da Petrobras. Segundo informações do 5º BPM (Praça da Harmonia), que faz o patrulhamento no local, não há registros sobre distúrbios ou vandalismo.

O protesto também tem apoio do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), da União Nacional dos Estudantes (UNE), da Federação Única dos Petroleiros (FUP), do Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro).

Sindicalistas e movimentos sociais também se mobilizaram em protesto em FlorianópolisAnderson Pinheiro/ Parceiros/ Agência O Dia

Com informações da Agência Brasil e IG 

Últimas de _legado_Brasil