Nível do Cantareira tem 18ª alta consecutiva

A pluviometria acumulada até agora ultrapassou a média histórica esperada para todo o mês de março

Por O Dia

São Paulo - O nível do Sistema Cantareira voltou a subir nesta terça-feira pela 18ª vez seguida, com acréscimo de 9,6 bilhões de litros no volume armazenado, que se destinam ao abastecimento de 5,6 milhões de pessoas na região metropolitana de São Paulo. O volume total dos reservatórios desse sistema atingiu 173 bilhões de litros – 5,9% superior ao registrado ontem (163,4 bilhões de litros).

A pluviometria acumulada até agora ultrapassou a média histórica esperada para todo o mês de marçoDivulgação

Pela metodologia antiga de cálculo da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), considerando a produção em relação ao volume útil (água que fica acima das comportas), o nível passou de 17,1% para 17,6%. Com a nova medição, feita com base na utilização do volume morto (água que fica abaixo das comportas e é retirada por meio de bombeamento), o nível subiu de 13,3% para 13,6%.

A pluviometria acumulada até agora permanece em 189,9 milímetros (mm), marca que ultrapassou a média histórica esperada para todo o mês de março (178 mm). O único manancial onde a média de chuva ainda não foi superada é o Sistema Rio Claro, cujo nível aumentou de 42,9% para 43,1%. A quantidade de chuva está em 227,8 mm e a média para todo o mês é 245,9 mm.

No Alto Tietê, o nível de água represada subiu de 22,9% para 23%; no Guarapiranga, de 83,8% para 84,3%; no Alto Cotia, de 62,9% para 63,4%, e no Rio Grande, ficou estável em 98,3%.

De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), as chuvas devem diminuir ao longo da semana, mas são esperadas pancadas de chuva em pontos isolados em áreas que incluem importantes nascentes, como o norte de São Paulo e o sul de Minas Gerais.

Últimas de _legado_Brasil