PSol de Jean Wyllys tem integrante que não aceita homossexuais no partido

Depois de expulsar Cabo Daciolo por suas ortodoxas opiniões sobre religião, surge nova saia justa para o partido

Por O Dia

Se no primeiro semestre os problemas com o bombeiro Cabo Daciolo deram enorme dor de cabeça para as lideranças do PSol com a insistência em incluir Deus na Constituição, surge agora mais um caso de integrante em divergência com as posições defendidas pelo partido. O pastor evangélico Bibiano Queiroz, novo integrante da legenda, afirmou em entrevista a uma emissora de televisão que não permitirá a participação de homossexuais na atividade partidária. 

Bibiano não aceita homossexuais no PSolReprodução TV

“Hoje a religião está em primeiro lugar dentro do PSol. Esse grupo (LGBT) está completamente isolado no partido. Não vai ter lugar para essa gente. A palavra de Deus está em primeiro lugar e sou radical contra tudo que a contraria”, disse ele na entrevista.

Bibiano se apresentou como presidente do diretório regional de Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre. Nesta sexta-feira, o diretório estadual negou que exista um escritório do partido na cidade.No entanto, o jornal local Página 20 apresentou uma lista, que seria do partido, com a indicação de Bibiano na função dita por ele. 

Nas últimas eleições presidenciais, o partido defendeu temas caros ao movimento LGBT. A candidata Luciana Genro se posicionou a favor da inclusão do direito ao casamento LGBT na Constituição e da criminalização da homofobia. No Rio de Janeiro, o ativista LGBT Jean Wyllys foi eleito com mais de 100 mil votos, 11 vezes mais que a votação obtida quatro anos atrás para deputado federal. 

Confira abaixo a nota do diretório do PSol

NOTA DE ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO

'A Direção Estadual do Partido Socialismo e Liberdade Acre, neste ato representado por seu presidente, o senhor Jamyr Rosas, vem a público esclarecer que as informações veiculadas através do Jornal Juruá Online com o título “Presidente Municipal do PSOL diz que não aceitará filiação de homossexuais”: Primeiro, estas afirmações são de caráter pessoal e não representam o pensamento do conjunto do Partido no Estado do Acre, como também o Senhor que fez tais declarações não esta autorizado a falar em nome do partido pois o mesmo e recém filiado e não existe ainda um Diretório Municipal montado naquele Município, e que todas as providencias serão tomadas para que fatos desta natureza não mais ocorra, haja vista que; o PSOL tem como bandeira de luta os Direitos dos Homossexuais, assim como dos demais seguimentos e Grupos sociais.

Por fim, Defendemos o direito e a liberdade de cada cidadão e não aceitamos nenhum tipo de preconceito e discriminação, seja ele racial, religioso, de gênero ou orientação sexual. Da mesma forma, tomaremos as medidas cabíveis para que a matéria seja imediatamente retirada do ar, preservando nossa imagem de partido comprometido com os direitos civis individuais'.

 



Últimas de _legado_Brasil