Ambientes descontraídos se tornam comuns em empresas da Geração Y

Escritórios valorizam a criatividade, liberdade e união do trabalho com o prazer

Por O Dia

No escritório da grife Reserva%2C funcionários têm acesso a uma área de lazer com space hokey%2C mesa de totó%2C videogame e minicopaJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Rio - Mesas de totó, sinuca, videogame e escorregador são itens que fazem parte dos escritórios criados pela geração Y, ou seja, de indivíduos com até 35 anos de idade. Inspirado nos ambientes de trabalho de grandes corporações — como Google, Microsoft e Pixar — esse modelo é adotado principalmente em segmentos de tecnologia e moda.

De acordo com Janaína Ferreira, professora de Gestão de Pessoas e Carreiras do Ibmec-RJ, escritórios descontraídos estimulam a criatividade e favorecem a produtividade dos funcionários. “Esse modelo é muito positivo como complemento de uma gestão moderna, que combina muito com a geração Y. Ela valoriza a criatividade”, explica.

Além disso, a tendência está de acordo com a procura dos jovens por unir prazer ao trabalho. “É muito interessante perceber a forma como essa geração sente a necessidade de fazer uma conexão com o prazer”, diz Janaína.

Na grife Reserva, a felicidade é tão importante que o cargo de presidente ganhou outra denominação: sorridente. Sócio da marca, Rony Meisler, 32 anos, conta que o objetivo ao criar um escritório descontraído era estimular o trabalho.

“A nova geração precisa de uma liberdade maior para ser produtiva”, avalia Rony. No escritório da empresa, os empregados têm acesso a uma área de lazer com mesa de totó, balanço, minicopa e videogame. Além disso, bimestralmente são feitas batalhas com armas de brinquedo.

Ambiente deve estar de acordo com a gestão

O ambiente de trabalho é muito importante, mas não tem eficácia se esse modelo não estiver de acordo com a cultura da empresa. Segundo a especialista Janaína Ferreira, não adianta ter um escritório descontraído com uma gestão retrógrada. “A mudança deve vir de cima para baixo”, afirma.

Na empresa AM4%2C mesa de sinuca e escorregador fazem a alegria dos funcionários e ajudam a descontrairJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Ou seja, uma companhia que oferece espaços de lazer e relaxamento aos funcionários deve ser coerente e incentivar um comportamento descontraído e livre. “É preciso que haja uma gestão participativa, de respeito, e não de autoridade”, alerta Janaína.

Diretor comercial da AM4, especializada em soluções para a internet, Alexandre Martins, 34 anos, afirma que tanto o empregador quanto os funcionários devem ter bom senso no dia a dia. “Embora o ambiente seja descontraído, existe uma rotina de trabalho. Porém, os horários são variados, conforme o que precisa ser entregue. Se o colaborador terminou as tarefas mais cedo, pode ir direto para a casa relaxar”, explica.

Segundo o sorridente da Reserva, grife de moda masculina, Rony Meisler, brincadeiras também são uma forma de incentivar o trabalho e aumentar a produtividade. “Propomos desafios. Desta vez, eu prometi ao meu time que se ele entregasse 110% da meta, eu rasparia a cabeça e pintaria de vermelho. Estou indo ao salão agora”, brinca.

Na HE%3A Labs%2C a máquina de fliperama faz sucesso entre os funcionáriosAlexandre Vieira / Agência O Dia

Após trabalhar em uma empresa convencional, Sylvestre Mergulhão, 28, decidiu empreender o próprio negócio e criou a HE: labs, firma de desenvolvimento para a internet, com ambiente informal. “Enxergamos o trabalho não como obrigação, mas algo que faz parte das nossas vidas, no qual temos prazer de estar”, conta.

Em busca de um ambiente que estimulasse a criatividade, a confecção Indistripe transformou seu escritório em uma espécie de antiquário. “Vendemos jeans para grandes grifes. Às vezes os compradores vêm desenhar modelos e ficam o dia todo, pois o ambiente é aconchegante”, afirma o sócio, Johnny Pontes, 55, que trabalha com o filho Gabriel, 27.

Escritório se transforma na segunda casa

Como resultado de ambientes de trabalho mais aconchegantes e descontraídos, os funcionários acabam passando mais tempo no escritório. Muitas vezes, no entanto, esse tempo é dividido entre períodos de trabalho, descanso e lazer, o que aumenta o bem-estar.

Além disso, escritórios sem paredes estimulam o contato entre os empregados. “Depois que adotamos esse modelo, a quantidade de e-mails diminuiu e as pessoas se falam mais, colaboram mais”, conta Rony Meisler.

Já para Cassiano Farani, o escritório acaba se tornando uma extensão de casa. “É um local onde as pessoas gostam de estar. Por isso, o trabalho rende mais”, afirma.

Modelo de espaço vale para todos os tipos de empresas

Para a especialista Janaína Ferreira, é possível implementar o modelo de escritórios descontraídos mesmo nos setores mais conservadores, como Direito ou Engenharia. Basta que a gestão seja moderna e estimule a participação.

É o caso da 99 Canvas, empresa de treinamento em empreendedorismo. De acordo com o diretor Cassiano Farani, 34 anos, o escritório reflete a cultura da firma, que busca unir inovação aos negócios.

“A gente tem uma parte de criatividade muito forte, por isso, esse tipo de ambiente é importante”, diz.

Além do escritório colorido e sem paredes, a informalidade está presente também na forma de os funcionários se vestirem: calça jeans, camiseta e tênis All Star é praticamente um uniforme. Para completar, algumas reuniões são feitas no quiosque da praia.

“A descontração faz parte da nossa cultura, mas ligada ao profissionalismo. Há metas a serem cumpridas”, ressalta Cassiano.

Gerações

Tradicionais - Nascidos até o ano de 1945, eles passaram por uma grande guerra e períodos de recessão econômica. Conservador, grupo lida bem com a hierarquia na empresa.

Baby-Boomers - Geração entre 1946 e 1964. Filhos do pós-guerra, eles romperam padrões e eram mais otimistas. Buscavam a satisfação pessoal.

Geração X - Nascida entre 1965 e 1977, geração buscava qualidade de vida, mas como enfrentou crises dá valor à estabilidade financeira e no trabalho.

Geração Y - Nasceram a partir de 1978. Com o mundo mais estável, valorizam a educação e investem em projetos inovadores. Trabalham em rede e lidam com os superiores de igual para igual.

Diferenciais

Reserva - A nova sede da grife de moda masculina fica em um galpão em São Cristovão. Todos os ambientes — escritório, salas de lazer e de reuniões — são integrados. Funcionários podem desfrutar de space hokey, mesa de totó, videogame, minicopa, máquina de refrigerante e de sucos, além de um balanço.

AM4 - A empresa se identifica com o jeito descontraído do carioca, por isso decidiu instalar o escritório na Fundição Progresso, de frente para os Arcos da Lapa. Além da mesa de sinuca, a sede tem escorregador e barra de ferro, como nos quartéis dos bombeiros, e uma academia.

Indistripe - O escritório funciona no mesmo casarão em São Cristovão, onde está a confecção que produz peças jeans para grandes grifes do Rio de Janeiro. O local tem diversos ambientes, todos decorados com peças antigas, além de bicicletas e motocicletas.

99 Canvas - A empresa fica em uma sala em Copacabana. As paredes são usadas como blocos de anotações, onde são escritos lembretes, observações etc.

HE: Labs - A empresa tem um escritório no Centro do Rio, com máquina de fliperama, helicóptero motorizado e até violão.

Últimas de _legado_Economia