Nove em cada 10 trabalhadores conseguiram reajuste acima da inflação em 2013

Este ano ganhos salariais devem ser ainda melhores em função das greves do primeiro semestre, segundo estudo feito pelo Dieese

Por O Dia

Rio - Nove em cada 10 trabalhadores conquistaram reajuste salarial acima da inflação em 2013, segundo levantamento divulgado ontem pelo Dieese. Ano passado, cerca de 95% das unidades de negociação analisadas pela entidade conseguiram elevação em seus pisos remuneratórios acima da inflação medida pelo INPC do IBGE. Já o ganho real médio foi 2,8% superior aos índices.

O resultado é ligeiramente inferior ao registrado em 2012, quando o percentual de negociações com aumentos reais atingiu 98%, com ganhos de 5,6%.

De acordo com Luís Ribeiro, técnico do Dieese responsável pelo estudo, a diferença entre o desempenho das negociações de 2012 e 2013 pode ser decorrente, em parte, à valorização do salário mínimo, que influencia diretamente os pisos salariais conforme observado pelo Dieese nos últimos anos. Ribeiro informou que em 2012, o mínimo foi reajustado em 14%, implicando um ganho real de 7,6%. Já em 2013, a correção foi de 9%, o que representou um ganho menor: 2,6%.

“Nota-se a influência da valorização do salário mínimo. Parece plausível supor que a valorização do piso nacional em 2012 ‘puxou para cima’ a alta dos pisos salariais naquele ano”, avaliou.

Luís Ribeiro explica ainda que dados preliminares apontam que 2014 será melhor do que 2013, mas não terá o mesmo sucesso de 2012. “Principalmente, neste primeiro semestre quando vimos várias categorias fazendo greves para conquistar reajustes maiores do que os oferecidos pelos patrões”, acrescenta Ribeiro.

SALÁRIOS MÉDIOS

O estudo mostrou que, nos 685 acordos salariais analisados, os valores acordados variaram entre R$ 678, equivalente ao valor do salário mínimo em 2013, e R$ 3,6 mil. A média dos pisos foi de R$ 879,04, cerca de 9% maior que o valor médio visto nas mesmas unidades de negociação em 2012.

Os técnicos do Dieese concluíram que 6% dos pisos equivaliam em 2013 ao salário mínimo vigente naquele ano, de R$ 678. Quase um terço ficou na faixa até R$ 750 e, cerca da metade, no intervalo até R$ 800.

Em 16% das negociações, os valores foram superiores a R$ 1 mil e somente 1,5% acima de R$ 2 mil. O setor de serviços registrou a maior valorização, seguido da indústria e do comércio. Já o setor rural obteve o menor salário médio, que foi de R$748,22.

Últimas de _legado_Economia