'Níveis básicos de ajuda não existem para muitos', diz cinegrafista com ebola

Freelancer da NBC na África postou depoimento no Facebook dias antes de ter diagnóstico confirmado

Por O Dia

Libéria - Um cinegrafista freelancer da NBC News foi infectado pelo vírus ebola enquanto trabalhava na Libéria. Ashoka Mukpo, de 33 anos, estava no país havia três anos participando de uma série de projetos. O cinegrafista é natural de Providence, Rhode Island, nos Estados Unidos. Ele será transferido para um hospital nos EUA para proceder o tratamento.

Cinegrafista foi diagnosticado com ebolaReprodução Facebook

Mukpo foi contratado pela emissora na última terça-feira para integrar a equipe da médica e correspondente Nancy Snyderman, na Monróvia. "O freelancer ficou doente com sintomas nesta quarta-feira, sentindo-se cansado e com dores no corpo", além de apresentar febre, publicou a NBC News em sua página na internet.

Dias antes de seu diagnóstico, Mukpo fez um desabafo em sua página no Facebook falando sobre a triste condição em que as pessoas se encontravam na Libéria em decorrência da epidemia.

"Cara, vi coisas muito ruins nestas últimas duas semanas da minha vida. Quão imprevsível e cheia de perigos a vida pode ser. Como em partes do mundo, níveis básicos de ajuda e assistência que supomos que estejam resolvidos por completo não existem para muitas pessoas", disse o cinegrafista.

"A dura frieza da privação e o potencial para a verdadeira escuridão que existe na experiência humana. Espero que a humaidade resolva como podemos cuidar uns dos outros e do nosso mundo. Simples, suave aspiração para todos os meus irmãos e irmãs nessa terra que sofrem dos elementos desta frieza. Que nós sejamos, livres, amados e bem cuidados...", completou.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência