Mãe de brasileiro no corredor da morte na Indonésia apela ao Papa

Carta pede que Francisco atue para impedir fuzilamento de outro brasileiro na Indonésia

Por O Dia

Jacarta e Brasília - O brasileiro Rodrigo Gularte, 42 anos, teve o nome incluído em uma lista de 11 prisioneiros no corredor da morte da Indonésia que serão executados mês que vem, segundo noticiou o jornal ‘The Jakarta Post’. A mãe dele, a paranaense Clarisse Gularte, escreveu carta ao Papa Francisco, apelando para que interceda junto ao governo do país asiático para evitar o fuzilamento. “A pena de morte certamente não se coaduna com a vontade de Deus. Que Ele nos proteja, nos dê compreensão e nos salve”, afirma ela, no documento.

Paranaense Rodrigo Gularte será fuzilado em fevereiroReprodução

O dia do fuzilamento não foi decidido. Além do brasileiro, condenado por tráfico de drogas, estão na relação pelo mesmo tipo de crime um francês, dois australianos, um espanhol, uma filipina, um ganês e um indonésio. Outros três cidadãos locais, também na lista, cometeram assassinatos. “Estamos prontos. Agora é apenas questão de apertar o botão”, disse Ulung Sampurna Jaya, chefe da polícia de Cilacap, onde fica a prisão da ilha Nusakambangan. O local é o mesmo em que o carioca Marco Archer foi fuzilado, este mês.
Rodrigo, do Paraná, foi condenado em 2004 por tentar entrar no país asiático com cocaína, como Archer. Ele teve negados dois pedidos de clemência feitos pelo Brasil ao governo indonésio.

Na carta ao Papa, Clarisse pede ainda que o filho seja internado num hospital psiquiátrico, por estar sofrendo de esquizofrenia. “É uma boa pessoa que errou. Errou, mas não acredito que medida tão violenta e extrema, como a pena de morte, ofereça solução aos motivos que levaram a tão drástica condenação”, escreveu.

Segundo a família, Rodrigo fala frases sem sentido a maior parte do tempo e acha que sair da cela significa ser executado. Por isso, recusa-se a deixar a prisão para ser examinado num hospital. O governo do Brasil oficialmente ainda tenta reverter a sentença, mas há poucas chances. Ontem, o Ministério das Relações Exteriores informou que a Embaixada do Brasil em Jacarta ainda não recebeu comunicação oficial sobre a execução de Rodrigo Gularte.

Archer, condenado em 2004 por tentar entrar na Indonésia, em 2003, com 13,4 kg de cocaína escondidos em tubos de uma asa-delta, foi o primeiro brasileiro executado no exterior. Gularte foi preso após ter sido flagrado com seis quilos de cocaína dentro de pranchas de surfe.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência