'Tenho medo de estar criando um serial killer', diz mãe de criança de 7 anos

Garoto foi adotado quando era bebê e, segundo relatos, já apresentava sérios distúrbios de comportamento

Por O Dia

Estados Unidos - A adoção de uma criança é o sonho de muitas mães que não podem ter filhos, mas não para a americana Kim, que viu seu desejo materno se tornar um pesadelo. A situação ficou tão desesperadora que a mulher foi pedir ajuda em um programa de TV nos Estados Unidos. Ela teme que seu filho adotivo de 7 anos se torne um verdadeiro serial killer.

Kim conta que ela e o marido Ryan adotaram o pequeno Rylan de uma mulher viciada em metanfetamina quando ele era apenas um bebê. Desde esse dia, os dois perceberam sérios distúrbios de comportamento na criança.

"Ele fala que vai nos matar. Ele detalha como ele vai usar a faca e a forma como vamos morrer. Ele diz que vai enfiar a faca no meu peito para conseguir um resultado 100% eficiente. Eu tenho medo de estar criando um desses atiradores de escola, um assassino, um serial Killer", desabafou a mãe ao apresentador do programa "Dr. Phil Show".


Kim também contou que a criança é obcecada por facas e que frequentemente prende a respiração até desmaiar. O pequeno Rylan também tem um robô imaginário chamado "Bleeder" (pessoa que sangra com facilidade em inglês) e já se trancou no banheiro e usou uma lâmina de barbear para cortar a ponta dos dedos só porque "ele queria ver o sangue e sentir a dor".

"Nós temos medo que ele se transforme em um 'Teddy Bundy'" — um dos maiores assassinos em série dos Estados Unidos na década de 70.

Kim, que hoje mora separada de Ryan, reveza com ele em turnos para cuidar do filho e conta que nesses 7 anos já internou a criança em seis hospitais. "Morar com ele em casa é muito assustador. É muito difícil pensar em deixá-lo internado em uma clínica, mas que outra opção nós temos?".

"Eu estou convencida de que um dia ele vai matar alguém", lamenta a mãe.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência