Marcos Didonet: Conta-gota: cada gota conta

Altas temperaturas, secas e chuvas intensas são apenas os primeiros vislumbres do caos ambiental que podem se tornar rotina se não adotarmos novas posturas

Por O Dia

Rio - A essência da vida está na água. Tudo o que nos cerca também está repleto, direta ou indiretamente, deste precioso bem. Se pensarmos que apenas 0,3% de toda a água do globo terrestre é potável, nós veremos que o atual cenário de racionamento pode se tornar ainda mais grave. Dados do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), por exemplo, mostram que a violência causa menos mortes que as doenças pela ingestão de água poluída e contaminada. Assim, o exercício de evitar o desperdício é quase como usar um conta-gotas e perceber que cada gota conta.

Ao longo das últimas semanas, o planeta mandou uma mensagem bastante clara: as mudanças climáticas são reais e podem piorar radicalmente. Altas temperaturas, secas e chuvas intensas são apenas os primeiros vislumbres do caos ambiental que podem se tornar rotina se não adotarmos novas posturas. Como sociedade, temos o desfio de construir um mundo realmente sustentável em práticas, atitudes, comportamentos e mudanças de olhar, pois é preciso um novo cidadão para erguer uma comunidade que valorize o respeito ao meio ambiente, a cidadania, o consumo consciente e que tenha a clareza dos seus impactos.

A sustentabilidade é uma atitude. Para entendê-la, é preciso experimentar. Quem se conscientiza não esquece e muda seus hábitos porque sabe que a sua vida e a de outros dependem disso. Isso implica perceber que aquele pinga-pinga do tamanho de um ponto de lápis pode ser responsável por um desperdício de 3 mil litros de água em um único dia. E saber que basta uma gota de óleo para deixar vários litros de água impróprios para o consumo.

Devemos preparar nossos sentidos e atitudes para cocriar outras visões de cidadania e curtir e compartilhar novas formas de ver o mundo, pensando no que temos hoje e naquele que juntos podemos construir. Precisamos viver a sustentabilidade e colocar os conceitos e as atitudes em prática no dia a dia. E ainda sentir que todos nós somos os principais agentes de transformações do mundo de hoje e do planeta de amanhã.

Marcos Didonet é diretor do Green Nation

Últimas de _legado_Opinião