'Está cheio de carniceiro querendo segurar o avanço da cidade', diz Paes

Prefeito e vice-governador entregam 809 imóveis do Programa Minha Casa, Minha Vida para famílias de baixa renda, em Campo Grande, na Zona Oeste

Por O Dia

Rio - Nem mesmo os protestos no Rio e que foram realizados em frente sua casa, onde manifestantes picharam guaritas, tiraram o bom humor do prefeito Eduardo Paes, neste domingo, durante a entrega de 809 imóveis do Programa Minha Casa, Minha Vida para famílias de baixa renda, em Campo Grande, na Zona Oeste.

Paes e Pezão durante lançamentoEstefan Radovicz / Agência O Dia

“Protestos pacíficos são naturais. Não sou comentarista para comentar sobre isso. Está cheio de carniceiro por aí querendo segurar o avanço da cidade”, ironizou Paes, que chegou ao local ao lado do vice-governador Luiz Fernando Pezão. “Faço campanha para o Pezão”, acrescenta o prefeito em tom de brincadeira.

Durante o evento, Paes sustentou que vai descontar o ponto do professor que não voltar a trabalhar nesta segunda e ainda fez duras críticas contra o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe). “A prefeitura vai tomar medidas legais. O Sepe não quer acordo, mas sim confusão. Não estarei mais na mesa de negociações”, garantiu.

Sobre a remoção de moradores em Tubiacanga, na Ilha do Governador e no Horto, Zona Sul do Rio, o prefeito mais uma vez não titubeou. “Quem está fazendo a remoção é o governo federal. Perguntem pra Dilma”, disse se referindo à presidente do Brasil, Dilma Roussef.

Pezão, sempre ao lado de Eduardo Paes, desconversou sobre a possibilidade de assumir o Governo do Estado em 2014, já que Sérgio Cabral teria dito que deixaria o cargo entre janeiro e abril do ano que vem. “Ainda estamos conversando, mas temos que ver o melhor pra ele (Cabral)”, disse.

Dos 809 imóveis dos condomínios Vivendas das Orquídeas e Vivendas das Rosas, que ficam na Estrada do Campinho e que foram entregues aos moradores, 160 deles ainda estão sem piso.

“Há seis blocos com piso e ainda faltam outros 43, mas esse conforto vai chegar até os moradores”, lembrou o secretário municipal de Habitação, Pierre Batista.

Durante o evento%2C Paes sustentou que vai descontar o ponto do professor que não voltar a trabalharEstefan Radovicz / Agência O Dia

Mas isso não foi capaz de tirar a felicidade de famílias, que antes moravam em condições precárias, em comunidades da cidade, como Cidade de Deus e Serra do Sol, em Santa Cruz.

“Morava em área de risco, agora vou ter um apartamento com dois quartos. Dá para viver com conforto ao lado do meu marido, filho e tia”, festejou com a chave do imóvel numa das mãos, a dona-de-casa Patrícia Caires, de 19 anos.

O Programa Minha Casa, Minha Vida atende famílias com renda mensal de até R$ 5 mil. A Prefeitura do Rio tem 64.550 imóveis do programa contratados junto à Caixa Econômica Federal. Deste total, 31.643 são para famílias com renda de até R$ 1.600.

Últimas de Rio De Janeiro