Traficante ficou isolado da própria facção criminosa

Menor P ficou responsável pela compra de droga na Maré desde a morte do Matemático, mas queria o controle total da favela. Isso gerou desentendimentos com outros chefes do Terceiro Comando Puro (TCP)

Por O Dia

Rio - O isolamento de Menor P e a busca por alternativas para fugir da Maré estão relacionados, segundo a polícia, à ganância do criminoso, que pretendia dominar a Vila Aliança, em Bangu. Ele ficou responsável pela compra de droga na região desde a morte de Márcio José Sabino Pereira, o Matemático, mas queria o controle total da favela. Isso gerou desentendimentos com outros chefes do Terceiro Comando Puro (TCP).

O plano para o golpe começou quando Fábio Augusto Silva de Souza, o Fabinho Noronha — então da Vila Kennedy, controlada pelo Comando Vermelho (CV) —, se desentendeu com o chefe Aldair da Mangueira. Fabinho atirou no carro da mulher de Aldair, que ordenou a morte do traficante. Fábio soube do pedido, então, se aliou a Menor P. Ele ainda recrutou dez homens e roubou mais de dez fuzis. Bandidos da Vila Aliança iniciaram uma guerra pela Vila Kennedy, que culminou, há poucas semanas, com a ocupação para instalação de UPP.

Menor P foi preso quarta-feira em prédio da Avenida Geremário Dantas%2C no Pechincha%3A ele não resistiuOsvaldo Praddo / Agência O Dia

O desfecho desagradou a líderes do TCP, que tiveram prejuízos na venda de drogas. Líderes dos Morros do Dendê, da Coreia e de Acari mataram três comparsas de Menor P no dia 19. Outros desertores do CV fugiram. Sem espaço nas comunidades aliadas do TCP, só restava trégua com Fernando Gomes de Freitas, o Fernandinho Guarabu, do Dendê, o que não ocorreu.

Justiça decreta prisão de nove

A Justiça decretou ontem a prisão preventiva de nove suspeitos de ataques à UPP do Complexo do Alemão, em janeiro: Eduardo Fernandes de Oliveira, o 2D; Vinicius Cruz de Macedo, o VN; Paulo Philipp Alves da Silva, o Filipinho; Wallace David Abreu, Kleyton da Rocha Afonso, o Branquinho; Halam Marcílio Gonçalves, o Halam Hilfiger; Marcondes Gomes de Oliveira, o Conde; Cesar Silva Lira, o Cesinha, além de Marcos Vinicius da Silva Lira, o Rex.

O grupo é acusado de atirar contra a base da UPP da Rua Itacorá, no Morro do Alemão, e contra a sede da UPP da região. E também em direção à Estação Itararé do Teleférico do Alemão e à Igreja de São José.

Kleyton e Halam já haviam sido presos por suspeita de matar um policial militar em 11 de março. Na ocasião, moradores do Alemão realizaram um protesto na Estrada do Itararé.
No Andaraí, policiais da UPP local prenderam, ontem, o traficante Fábio Oliveira da Silva, o AP, de 26 anos. De acordo com a PM, ele é apontado como o responsável pelo tráfico de drogas na comunidade.

Ao ser abordado, AP ofereceu R$ 10 mil aos policiais e prometeu mais R$ 5 mil por semana, caso eles deixassem de reprimir a venda de drogas no Andaraí. Contra ele existia mandado de prisão expedido.

Últimas de Rio De Janeiro