Mudanças nos trens dividem opiniões dos passageiros

Serviço expresso reduz o tempo de viagem para alguns, mas impõe mais baldeações

Por O Dia

Rio - Para a SuperVia, o primeiro dia do novo sistema de trens expressos foi aprovado. De acordo com a empresa, os horários de partida e a duração das viagens nos ramais de Japeri, Santa Cruz e Deodoro transcorreram como planejado ontem. Entre os passageiros, a mudança dividiu opiniões. Para os usuários que viajaram com destino às estações Madureira, Maracanã e Central — as únicas paradas do expresso — o saldo foi positivo. Mas entre os que precisaram fazer baldeação, houve reclamação. A mudança continuará em testes até o fim da semana e alguns ajustes técnicos serão feitos a partir desta terça-feira.

Nas estações de baldeação, a crítica era pela superlotação nas plataformas. “Madureira virou um engarrafamento de gente de tão lotada”, relatou o eletricista Amilton Silva, 52, que saiu de Nova Iguaçu em direção à Cascadura. A troca de composição foi motivo de desconforto para o supervisor de faturamento Diego Rangel, 29. “Teve muita confusão na troca de um trem para o outro. Para mim, a baldeação só trouxe atraso”, contou Diego, que antes da mudança utilizava o trem semidireto do ramal Santa Cruz para ir de Campo Grande a Cascadura.

Diego%2C que costumava pegar um trem de Campo Grande a Cascadura%2C reclama que agora precisa de baldeação%3A 'Teve muita confusão na troca de trem. Para mim%2C só trouxe atraso'Diego Valdevino / Agência O Dia

Os telões que levam informações das viagens nas plataformas de Deodoro e Central também foram alvo de reclamações. No painel, os horários de saída dos trens não correspondiam à realidade. “Se a pessoa não ficar atenta ao sistema sonoro, perde o trem”, apontou a secretária Marilene de Souza, de 26 anos, que nesta segunda, em Deodoro, reclamava sobre a partida dos expressos nos telões, onde constava a informação de chegada do trem na plataforma em 18 minutos, mas ela foi feita em 8 minutos. A concessionária admitiu um problema técnico de transmissão dos horários nos telões e o reparo deverá ser feito nesta terça.

Para não causar desentendimento entre os usuários, o sistema interno de aviso das estações pelos painéis de LED dentro das composições expressas será desligado. Ontem, em alguns trens apareciam nomes das estações que não são mais atendidas pelo expresso. “Os avisos de paradas serão feitos apenas pelo maquinista”, informou o presidente da SuperVia, Carlos José Cunha. Para os passageiros com destino à Central, Madureira e Maracanã, o expresso foi só elogios. “De Deodoro até a Central tive economia de oito minutos”, declarou a fisioterapeuta Monique Teixeira, de 28 anos.

Fiscais da Agetransp monitoraram intervalos dos trens na CentralDiego Valdevino / Agência O Dia

Menor número de reclamações na agência reguladora de transportes

Na Agetransp, responsável pela fiscalização dos trens, as reclamações sobre o transporte ferroviário foram reduzidas. Nesta segunda-feira, a ouvidoria registrou oito queixas, quando a média é de 20. O presidente da SuperVia alegou que a mudança no sistema superou suas expectativas. “Era uma demanda dos passageiros e recebemos mais elogios do que críticas. É claro que há alguns usuários que estavam acostumados com um sistema de 20 anos e dizem que piorou, mas isso será uma mudança de comportamento e vamos conquistando aos poucos”, declarou Carlos José Cunha, que também ressaltou o fim da obstrução nas portas.

“Não tivemos registros de trens superlotados porque passamos a oferecer mais viagens, com isso, aquele problema de passageiros prendendo as portas acabou”, acrescentou o presidente da SuperVia. O objetivo da implantação do sistema de trens expressos é reduzir em até dez minutos o tempo de viagem dos ramais Santa Cruz e Japeri até a Central.

Os intervalos de ambos passaram a ser de oito minutos e, a partir de Deodoro, a chegada de uma composição na plataforma leva apenas quatro minutos. Os trens paradores, atendidos desde ontem apenas pelo ramal de Deodoro, reduziram o tempo de viagem de dez para seis minutos. O novo sistema possibilita aumento de 28% das viagens nestas linhas e o crescimento de 1,7 milhão para 2,1 milhões de assentos por dia.

Colaborou Diego Valdevino

Últimas de Rio De Janeiro