Governo pagará R$ 82 mil em roupas sociais para agentes da Polícia Civil

Traje será utilizado pelos encarregados de escoltar os integrantes da cúpula da instituição

Por O Dia

Rio - Em meio a aquisições de equipamentos de precisão, um item chama atenção entre as contratações feitas recentemente pela Secretaria de Segurança: a compra de roupas sociais por R$ 82 mil para servidores encarregados de escoltar integrantes da Chefia da Polícia Civil. A aquisição de 120 ternos, 120 gravatas e 120 camisas sociais será feita com a empresa Shanon Moda Masculina LTDA, vencedora da licitação. O traje completo sairá por R$ 683.

O contrato tem vigência de seis meses, e todos os agentes que integram a escolta ficarão com os ternos. A transação vem no momento em que o governador Luiz Fernando Pezão prevê que o Rio poderá enfrentar um quadro ruim na economia em 2015, e em que as cestas de Natal dos PMs foram cortadas por falta de orçamento. Na justificativa, o governo alega que a compra é para ‘atender servidores que efetivamente atuam na área de escolta, vez que acompanham autoridades da administração superior da Polícia Civil devem se apresentar bem trajados, com uniforme social completo, qual seja: paletó’.

No edital, a Secretaria estima que cada terno completo, em poliviscose, custará R$ 516,67, cada camisa social de algodão, R$ 133, e a gravata, R$ 56, 33. Na loja Camisaria Colombo, o terno e a calça social, nos mesmos padrões da licitação, saem por R$ 338, a camisa social mais cara é R$ 79,95 e a gravata R$ 39,95. Já a Companhia do Terno anuncia o terno e a calça por R$ 223, a camisa social por R$ 66 e a gravata por R$ 29,90. A Polícia Civil alegou que a Shanon foi vencedora de pregão eletrônico realizado em 12 de setembro, com a participação de outras cinco empresas.

Últimas de Rio De Janeiro