PMs mortos no fim de semana são enterrados em Sulacap, na Zona Oeste

Cerca de 300 pessoas acompanharam a despedida dos agentes

Por O Dia

Rio - Um fim de semana sangrento deixou quatro policiais civis e militares mortos em menos de 24 horas. Dois deles foram enterrados nesta segunda-feira no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, Zona Oeste do Rio, num espaço de uma hora de diferença. Aproximadamente 300 pessoas acompanharam as cerimônias dos agentes. 

"Ele era um bom filho. Eu daria tudo para estar no lugar dele", falou emocionado o porteiro Paulo Robson da Silva, que, aos 60 anos, perdeu o filho Alan Barros da Silva, lotado no Batalhão de Policiamento de Grandes Eventos (BPGE).

Alan, enterrado às 16h, levou cinco tiros em tentativa de assalto, às 15h30 deste domingo, na Praia dos Amores, no Recreio dos Bandeirantes. Ele chegou a ser levado para o Hospital Lourenço Jorge, mas não resistiu.

Parentes e amigos se emocionaram no adeusFernando Souza / Agência O Dia

Usando um boné amarelo com o número 32 inscrito - presente de Alan que representava o numeral do filho no curso da Polícia Militar, Paulo contou que no momento em que foi baleado, Alan esperava amigos para irem juntos à praia. Antes de entrar para a PM, Alan já tinha conseguido ingressar na Aeronáutica, "mas o sonho dele mesmo era ser policial", revelou o pai. Ele costumava dizer: "Pai, posso morrer como posso viver". 

'Polícia do Rio está sozinha', diz Beltrame após mortes de policiais

Cerca de 300 pessoas acompanharam a despedida dos PMs%2C enterrados nesta segunda-feira à tarde no Cemitério Jardim da SaudadeFernando Souza / Agência O Dia

Uma triste despedida também para o soldado Pedro Gabriel Ferreira, enterrado uma hora antes de Alan. Sobre o caixão do PM foram colocadas uma bandeira do Brasil e outra do time de coração, o Botafogo Futebol e Regatas. O grupo que acompanhou o adeus de Pedro exibia cartazes com pedidos de justiça e segurança. Além disso, em tom de protesto, as pessoas cobravam a responsabilidade do Estado em relação à morte dos PMs. 

Quatro policiais mortos e seis feridos em menos de 24h no Rio

A mãe do agente agradeceu aos presentes e falou que cada abraço e cada beijo que recebeu neste momento foram, de forma especial, reconfortantes. O pai foi enfático ao falar sobre o amor que o filho sentia pela corporação: "Eu quero que a PM saiba que ele (Pedro) nasceu de cuturno e o sangue dele é azul".

O PM foi baleado neste domingo pela manhã, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele estava de folga com mais dois soldados ( Marcos José Oliveira, e Leandro Alves Moura) e foi atingido enquanto o trio bebia na Padaria Via Country, no Centro. Segundo informações, três homens saíram de um Honda Civic e atiraram nos agentes. Pedro não resistiu e morreu. Os outros dois ficaram feridos.



Últimas de Rio De Janeiro