Um verão fora do normal

Irregularidades tomam orla no último dia da estação, com temperatura quatro graus acima da média

Por O Dia

Rio - Quando as ondas quebravam na areia, os banhistas se movimentavam para não deixar que o mar levasse seus pertences. No entanto, um grupo de amigos não tinha com o que se preocupar no fim de tarde de quinta-feira no Posto 6, de Copacabana. Eles cochilavam tranquilamente em uma cama com estrutura de madeira, chamando atenção de quem passava no local.

Em aproximadamente uma hora em que a equipe do DIA esteve no bairro, essa foi apenas algumas das irregularidades verificadas na última tarde de praia da estação mais quente do ano. Nenhum fiscal da Guarda Municipal foi observado. Tentando impedir que a bola tocasse o chão, um dos integrantes do jogo de bola em círculo, o ‘altinho’, acertou uma senhora debaixo de uma barraca.

Prancha a remo%2C na Praia de Copacabana%2C quinta-feira%2C último dia de verãoAndré Mourão / Agência O Dia

“O problema não é fazer esporte, mas eles não têm bom senso para respeitar quem está em volta, nos lugares mais cheios”, afirmou a aposentada Norma Ferreira, de 67 anos.

Do ano passado para cá, o número de barracas de instrutores de prancha a remo, o stand up paddle (SUP), aumentou de oito para 17 naquela praia, segundo um instrutor. Mesmo em uma tarde nublada como a de quinta-feira, é comum observar praticantes do esporte dividindo espaço com banhistas “Acho muito perigoso, pois as pranchas são enormes e a maioria deles está praticando pela primeira vez. Nos fins de semana dá até medo de entrar na água e levar uma pranchada”, disse a professora Célia Soares, 40.

Segundo a Guarda Municipal, o uso de móveis como o flagrado pela reportagem não é permitido nas praias, assim como a prática de linha de passe perto da água, no período de 8h às 17h. O órgão comunicou que realiza fiscalizações diariamente.

CALOR ACIMA DA MÉDIA

Segundo o Instituto Clima tempo, este verão foi quatro graus mais quente que o normal, registrando 34 graus de média. O outono também deve continuar quente, e a chuva deve dimunuir nos próximos meses. “De forma geral, teremos mais calor do que o normal, e a chuva deve diminuir no Sudeste”, informou o instituto, por nota.

Últimas de Rio De Janeiro