Vídeo: Ladrões usam carro para roubar moto estacionada em Santa Teresa

Ação durou menos de um minuto e criminosos levaram em um utilitário a scooter estacionada na Rua Joaquim Murtinho

Por O Dia

Rio - Conhecida pela tranquilidade que transpassava suas ruas, Santa Teresa não é a mesma há muito tempo. O bairro vem sofrendo com os roubos cada vez mais frequentes na região. Em mais um episódio, bandidos ousaram, na madrugada desta quarta-feira, e roubaram uma moto, estacionada na Rua Joaquim Murtinho, próximo ao prédio onde mora a proprietária, e a levaram dentro de um veículo utilitário. A ação durou cerca de 40 segundos. A polícia investiga o caso.

A ação foi registrada pelo circuito interno de um prédio em frente de onde estava estacionada a moto, às 2h17. Os criminosos param uma Fiat Doblò no local e, em menos de um minuto, levam a scooter Bee 50 amarela estacionada, avaliada em cerca de R$ 7 mil. A outra moto, uma Honda Lead, que pertence ao marido da vítima, não foi roubada.

De acordo com Gisele de Souza Chaves, dona da scooter, o que mais a impressionou foi a ousadia e sofisticação dos criminosos, que ela acredita que possa ser uma quadrilha. "O que me impressiona foi a forma como ela foi roubada, com um Doublò, sabe. Parece mais a ação de uma quadrilha", disse.

A gerente de projetos disse que percebeu que sua moto havia sido furtada por volta das 6h, quando saía com o marido, que é personal trainer, para nadar na Praia de Copacabana. "Faço triatlo e meu marido e eu treinamos, mas quando chegamos na rua a moto não estava lá. Registramos então uma ocorrência na delegacia." Gisele disse que eles ainda rodaram por ruas da região na tentativa de encontrar a scooter, mas não tiveram sucesso. "Não é a primeira vez que ela é roubada, mas da outra vez a encontramos na Lapa, e não registramos ocorrência", falou, revelando que também já teve o seu carro arrombado. 

Dona de scooter roubada faz campanha em rede social para tentar recuperá-laReprodução Facebook

Na segunda ida à delegacia, ela encontrou dificuldades para entregar a gravação feita por uma câmera de um prédio. "O inspetor que estava lá disse que não poderia receber, somente quem registrou a ocorrência. Mas meu marido depois conseguiu entregar e hoje pela manhã o delegado me ligou pedindo desculpas", relatou.

A scooter do marido, que estava ao lado da sua e é de uma marca que costuma ser mais visada não foi levada. "Compramos elas mais ou menos na mesma época. Escolhi ela por ser menos visada. Tem várias outras motos na rua, mas só levaram a minha." O prédio onde mora não possui estacionamento. Ela reclamou do crescimento do número de roubos no bairro. "Hoje, deixar aqui na rua, não é garantia de que não vão levar."

Segundo a 7ª DP (Santa Teresa), onde o caso foi registrado, as investigações estão em andamento para apurar as circunstâncias do roubo. As imagens da câmera de segurança estão sendo analisadas. Ainda de acordo com a delegacia, os agentes realizam diligências em busca de testemunhas e informações que ajudem a identificar a autoria do crime.

Últimas de Rio De Janeiro