Antes de ser assassinada, funkeira disse para a mãe que voltaria para Goiás

Em tom de desespero, Amanda Bueno enviou mensagens pelo celular avisando que voltaria para Goiânia

Por O Dia

Rio - Horas antes de morrer, a funkeira Cícera Alves Sena, de 29 anos, conhecida como Amanda Bueno da Jaula das Gostozudas, enviou mensagens por uma aplicativo de celular para a mãe. No áudio, ela dizia que voltaria para Goiânia (GO) no último sábado e se mostrava bastante nervosa: "Tá mãe, tá decidido. Eu tô indo embora da manhã pra depois. Tá bom?". Ela foi assassinada pelo noivo, na última quinta-feira, na casa em que o casal morava em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

LEIA MAIS: Corpo de ex-dançarina de funk é velado em Goiás

"Mãe, tem certas coisas que a gente tem que conversar só pelo telefone, não pelo WhatsAppp", disse a funkeira, se mostrando preocupada. Ainda assim, ela não quis dizer o motivo: "Oh mãe, eu nem vou te falar o que aconteceu, mas eu tô indo embora. Mãe, não viaja, por favor. Eu vou chegar em casa até sábado".

Filha de dançarina de funk se desespera no cemitérioReprodução / TV Anhanguera

Em seu último contato com a família antes de morrer, conforme mostrou a TV Anhanguera, ela apenas pediu à mãe que não viajasse: "Mãe, por favor, não viaja não que eu preciso chegar em casa e te dar um abraço, mãe".

Cícera Alves Sena, a Amanda Bueno, foi enterrada na tarde deste domingo, no Cemitério Municipal de Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia, onde nasceu a ex-dançarina. O local foi escolhido pela mãe da ex-integrante da Jaula das Gostosudas. Ela queria que sua filha fosse enterrada no mesmo local que o marido e outros dois filhos.

LEIA MAIS: 'Não ia com a cara dele', diz filha de dançarina de funk assassinada

Durante o enterro, a filha de Cícera, a estudante Emilly Cristina Sena, de 11 anos, não segurou a emoção e chorou muito, precisando ser amparada pelos que estavam presentes. "Eu quero minha mãe", dizia.


Últimas de Rio De Janeiro