Ceia é levada para a praia para driblar a crise no Ano Novo

Alto preço das bebidas e alimentos faz cariocas e turistas improvisarem no Réveillon em Copacabana

Por O Dia

Rio - O médico Fernando Reis, de 54 anos, é morador de Copacabana há 10 anos e convidou um grupo de 10 amigos, oriundos de Ipanema, Barra, Santa Cruz, Minas e Vitória, no Espírito Santo, para passar o Réveillon na praia. Para driblar a crise, ele decidiu levar a própria ceia para a praia. A refeição composta por cerveja, refrigerante, suco, prosecco e pernil fatiado vai evitar os gastos exorbitantes que o grupo teria se tivesse que comprar bebidas e alimentos na praia. 

"Trazer o lanche de casa é o meio de driblar a crise. Porque está tudo muito caro na praia. Isso se justifica pela caipirinha e pela caipvodka, que está R$ 10. Já a água está custando R$ 4 e a cerveja em lata está R$ 7", conclui ele, satisfeito por ter levado sua ceia. 

O amigo Rodrigo Carvalho, de 39 anos, é dentista e veio de Vitória para assistir ao espetáculo no Rio pela segunda vez e disse que o grande barato que chamou a atenção dele este ano é que os fogos vão homenagear as olimpíadas e o samba. "Isso mostra que o Rio entrou de vez de cabeça nos jogos olímpicos".

Apesar de policiamento na orla, pessoas estão se sentindo inseguras nas areias

Para driblar crise e preços altos%2C o médico Fernando Reis levou alimentos e bebidas para acompanhar a virada em CopacabanaDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Shows agitam público em Copacabana

Uma multidão lota a orla de Copacabana à espera da virada do ano embalada por muita música. As apresentações no palco principal começaram por volta das 18h com o DJ Marcelo Garcia, enquanto no palco em frente a Rua Santa Clara teve início às 19h30 com a banda Suricato, que teve a participação da atriz e cantora Sophia Abrahão. Ao todo, são 10 horas de muita música nas areias de Copacabana, que ainda terá show de Zeca Pagodinho e, para fechar com chave de ouro, a apresentação da bateria da Beija-Flor, campeã do carnaval 2015.

O primeiro cantor a subir no palco principal foi Gabriel Moura, compositor conhecido pelas músicas que fazem sucesso na voz de Seu Jorge. Foi a sua primeira vez no palco do maior Réveillon do mundo e ele se emocionou.

Apresentação do musical "Sambra"%2C com Diogo Nogueira no elenco na festa de Réveillon em CopacabanaDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

A apresentação seguinte foi do musical "Sambra", que homenageia os 100 anos de samba. Com cerca de 2 horas de duração, o musical se concentra na história do samba e dos principais representantes do gênero, tendo a frente o cantor Diogo Nogueira no espetáculo.

Às 22h30, Jorge BenJor sobe ao palco principal. Logo após a queima de fogos, será a vez de Zeca Pagodinho. Quem fecha a festa no palco principal é a bateria da Beija-Flor. No palco Santa Clara ainda se apresentam Arlindo Cruz, Dudu Nobre, bateria do Salgueiro e da Grande Rio.

Últimas de Rio De Janeiro